Os frutos do arrependimento - Paulo R. Petrizi

Resultado de imagem para arrependimentoO que é arrependimento? De acordo com Mateus 3.1-12, era sobre o arrependimento que o profeta João Batista costumeiramente pregava. E seu ministério, à margem do rio Jordão, atraía muitas pessoas que em sinal do arrependimento de seus pecados, deixavam-se batizar nas águas do rio. Porém, não eram somente as pessoas que buscavam a Deus que compareciam até onde João ministrava, mas também diversos fariseus e saduceus, a quem o profeta chamou de “raça de víboras”.

Observe as palavras de João no verso 7: Raça de víboras! Quem lhes deu a ideia de fugir da ira que se aproxima? Ao referir-se àquelas pessoas como serpentes venenosas, o profeta referiu-se ao caráter deles ser semelhante ao do Diabo. Infelizmente, há pessoas que têm características em sua personalidade e conduta que lhes assemelha ao Diabo: desobediência, malignidade, astúcia maligna, infidelidade, falsidade, traição, perversidade, etc. A principal característica destas pessoas é a incapacidade de se arrependerem de seus pecados.

Quem tem caráter de víbora não se arrepende. Quem tem caráter de cordeiro, tem frutos de arrependimento. O Messias, a quem João Batista anunciava, veio para ser Pastor de cordeiros. Tais cordeiros têm como principal característica o arrependimento de seus pecados e os frutos decorrentes (cf. Mt 3.8). Exemplos destes frutos são dados pelo próprio João Batista noutro texto, em Lucas 3.10-14.

Neste texto encontramos o profeta orientando as pessoas recém batizadas em como deveriam externar a fé no cotidiano. À multidão em geral, João recomendou que mostrassem compaixão uns pelos outros (v. 11). Eis aqui um primeiro fruto de arrependimento: importar-se com as necessidades do outro. João falou sobre dar uma túnica e repartir a comida com quem precisa. Mais do que isto, lembremos de que a maior necessidade das pessoas é de salvação. Assim, um primeiro fruto de arrependimento é importar-se com a salvação dos outros.

Aos funcionários públicos (publicanos), que encarregavam-se da cobrança de impostos, João recomendou: não cobrem nada além do que lhes foi estipulado (vs. 12 e 13). Aos militares: não pratiquem extorsão, nem acusem ninguém falsamente e contentem-se com seus salários (v. 14). Isto demonstra que os frutos de arrependimento devem aparecer no cotidiano de nossas vidas, no nosso dia a dia.

O Espírito Santo e o fogo de Deus para nos ajudar. Num mundo onde há tantas pessoas com caráter de víboras, não é nada fácil manter-se no propósito de frutificar os frutos do arrependimento verdadeiro. Exatamente por isso, João referiu-se ao Messias que traria um batismo muito especial para as ovelhas, com o Espírito Santo e com fogo. Observe as palavras de João: ...tanto que não sou digno nem de levar as suas sandálias. Ele os batizará com o Espírito Santo e com fogo. (Mt 3.11).

Humildade e serviço são marcas destas pessoas a quem Deus reserva este batismo. Tirar as sandálias e lavar os pés era um trabalho típico de servos. João diz que não era digno nem para esta função. Pois é para tais pessoas humildes que Deus concede a capacitação sobrenatural do Espírito Santo. Sobre humildade, Jesus ensinou no Sermão da Montanha que o Reino dos Céus é dos “humildes de espírito” (Mt 5.3) e que os humildes receberão a terra por herança (Mt 5.5).

Conclua este estudo levando as pessoas presentes a pedirem perdão dos seus pecados a Deus e a se declararem humildes diante dEle.

Fonte: CEBI Nacional