Igreja Anglicana emite nota reforçando a defesa da Democracia

“O fruto da justiça será paz;
o resultado da justiça será tranquilidade
e confiança para sempre”. Isaías 32:17

Nós, Bispos da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, vemos com preocupação a crise política que tem se instaurado no país envolvendo a busca do impeachment da Presidente Dilma Rousseff, baseada nas chamadas “pedaladas fiscais” praticadas, da mesma forma, por todos os governos anteriores. Como pano de fundo deste movimento, é colocada a crise econômica, que não é apenas recorrente no Brasil, mas também presente em países da União Europeia, nos EUA, e em outros países tanto desenvolvidos quanto em desenvolvimento sendo, portanto, uma crise do sistema capitalista que domina a economia mundial.

Vemos com alegria que nunca, desde a redemocratização do Brasil, houve tão intenso combate a corrupção, inclusive com prisão de dirigentes de grandes empresas e detentores de cargos públicos. Sabemos que há muito mais a ser revelado neste processo de transparência, que a cada dia se faz mais necessário acabar com o financiamento das campanhas por pessoa jurídicas que claramente institucionaliza a cultura da troca de favores tão nocivos ao interesse da sociedade. O processo de aperfeiçoamento da democracia exige a correção de outras tantas falhas no sistema político e econômico do Brasil e que tem facilitado a corrupção e a manipulação da “coisa pública” em favor de benefícios privados (como mostra a tragédia de Mariana em Minas Gerais).

Preocupa, desta forma, que o processo de impeachment, seja defendido por pessoas, partidos políticos, e agentes políticos que defendem abertamente um projeto neoliberal que foram eleitoralmente derrotados na eleição do ano passado. Muitos deles também envolvidos em processos de corrupção que já foram ou começam a ser denunciados, e conhecidos defensores de setores empresariais que historicamente tem se beneficiado com o uso do dinheiro público. Vemos que por trás da derrocada de um governo democraticamente eleito, há indicativos de frear o combate a corrupção, devolver privilégios a empresas privadas, e acabar com políticas públicas que (mesmo não sendo perfeitas em sua condução atual) tem ajudado a diminuir índices históricos de miséria extrema, aumentado a escolaridade, e garantido o acesso de milhões de pessoas a melhores condições de vida.

Assim, assumimos, sem receio algum, à Luz do Evangelho do Senhor Jesus Cristo, a agenda de todos os movimentos, organizações e partidos políticos que colocam o bem maior da nação brasileira acima de interesses mesquinhos, atitudes excludentes e manobras golpistas. É de fundamental importância a garantia dos direitos sociais conquistados e o respeito à ordem democrática!

Dom Francisco de Assis da Silva, Bispo Primaz e Diocesano da Sul Ocidental
Dom Naudal Gomes, Bispo da Diocese Anglicana de Curitiba
Dom Filadelfo Oliveira, Bispo da Diocese Anglicana do Rio de Janeiro
Dom Mauricio Andrade, Bispo da Diocese Anglicana de Brasilia
Dom Saulo Barros, Bispo da Diocese Anglicana da Amazônia
Dom Renato Raatz, Bispo da Diocese Anglicana de Pelotas
Dom Flavio Irala, Bispo da Diocese Anglicana de São Paulo
Dom Humberto Maiztegui, Bispo da Diocese Meridional
Dom João Peixoto, Bispo da Diocese Anglicana do Recife
Dom Clovis Rodrigues, Emérito
Dom Almir dos Santos, Emérito
Dom Celso Franco, Emérito
Dom Jubal Neves, Emérito
Dom Orlando Santos de Oliveira, Emérito
Dom Sebastião Gameleira, Emérito