Formação sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016

Clique aqui e veja as fotos!

O CEBI do Espírito Santo realizou no último dia 28 de novembro um Encontro de Formação sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016. O encontro aconteceu nas dependências do Colégio Agostiniano, centro de Vitória-ES e teve a participação de mais de 130 pessoas das Igrejas que compõe o CONIC, além da Federação Batista, a Faculdade Unidade, a ANEC – Associação Nacional de Escolas Católicas (Professores e alunos dos Colégios São José, Maristas, Agostinianos), pastores, padres e religiosas, e também movimentos sociais como CDDH (Centro de Defesa de Direitos Humanos) e Pastoral Operária. Participou também do encontro a Presidente do CONIC-ES, a Presbítera Anita Sue Wright Torres, (IPU-VV).

Usando a metodologia VER, JULGAR E AGIR, o encontro teve como pontos principais: a Espiritualidade da Leitura Popular da Bíblia (LPB); os Desafios do Ecumenismo e das Campanhas da Fraternidade Ecumênica; os Desafios do Saneamento Básico no Brasil e no Espírito Santo, o Profetismo de Amós e outros profetas na Bíblia; Ações Concretas para Agir a partir desta Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016.

A assessoria do encontro ficou a cargo de: Pastora Eliane Breda (IPU-VV); Ricardo Vereza (Engenheiro Civil e Militante na área ambiental); Maria de Fátima Castelan (CEBI-ES), Pe. Manoel David Neto (ICAR E CEBI-ES) e Equipe de Redação e Elaboração de Círculos Bíblicos do CEBI-ES.

Entre os assuntos mais debatidos esteve a maior tragédia ambiental do Brasil, a barreira rompida, as vítimas inocentes e a lama despejada pela irresponsabilidade da Samarco, Vale e BHP Billiton, ocorrido em 05 de novembro, que atingiu os estados de Minas e o Espírito Santo. 

Além disso, foi evidente a constatação do desafio da falta compromisso com as políticas públicas para o saneamento básico, uma vez que o mesmo “não dá voto” (porquê fica enterrado). Mas saneamento básico dá muita saúde, evita doenças e gastos com doenças, especialmente para inúmeras crianças no mundo inteiro, entre outras coisas, além de gerar trabalho, lazer, turismo, educação, comércio e etc.

Não foi diferente também o desafio do Ecumenismo, especialmente em tempos de tantas intolerâncias religiosas e de tantos espiritualismos atuais, e um grande desprezo e falta de cuidado com a vida do ser humano, especialmente dos semelhantes, como um dom de Deus.

Com o “julgar”, feito a partir dos textos bíblicos escolhidos, ficou evidente a necessidade de se colocar em prática o apelo de um grande Profeta do século XX, D. Hélder Câmara: “Não deixem morrer a profecia”.

Por fim, como não poderia deixar de ser, o encontro serviu apenas de pontapé inicial para as reflexões, a oração e agir de cristãos, cristãs, e todos os homens e mulheres de boa vontade que sabem ver no irmão um companheiro de caminhada neste planeta, onde moram os Filhos de Deus. 
Muita coisa há que se pensar e fazer, constataram os participantes do encontro. E não dá para fazer sozinhos, mas juntos, como Igrejas, religiões, outros credos diferentes, enfim, todas as pessoas que desejam mais vida e dignidade para todos.

Pe. Manoel David Neto - ICAR
Equipe de Divulgação do CEBI-ES