Carta de Espírito Santo: Encontro Nacional da REJU

Nós, juventudes* de várias crenças e comunidades de fé ou sem vinculação religiosa, que lutam por justiça, reunidas entre os dias 12 a 15 de dezembro de 2014, no Município de Marechal Floriano, no Estado do Espirito Santo, para IV Encontro Nacional da REJU – Rede Ecumênica da Juventude, com parcerias da CESE (Coordenadoria Ecumênica de Serviço), FLD (Fundação Luterana de Diaconia), CEBI (Centro de Estudos Bíblicos), CONIC/ES (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, Regional Espirito Santo), IPU (Igreja Presbiteriana Unida - Presbitério de Vitória), IECLB (Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil), SOS Corpo e apoio do Koinonia – Presença Ecumênica de Serviço e FE ACT Brasil (Fórum Ecumênico do Brasil membro da ACT Aliança), manifestamos, a partir desta carta, as nossas intenções para o biênio 2015/2016.

Objetivando fortalecer a atuação em todo território nacional e considerando a laicidade do Estado e as questões da lationoamericanidade, educação popular e amplitude cultural, por meio de suas regionais e das juventudes que as integram, atuaremos a partir de quatro objetivos estratégicos:

  1. Criar e desenvolver conteúdos e metodologias criativas e inovadoras, de modo a dialogar com as demandas nacionais, contemplando as realidades regionais;
  2. Fortalecer e empoderar as juventudes e suas lutas, demandas e realidades, implicando em incidências socioculturais, religiosas e políticas;
  3. Denunciar e evidenciar as impressões da REJU por meio da presença e/ou notas, sempre que necessário e a convite das parceirias;
  4. Ocupar, compor, articular e apoiar ações de organizações e redes da sociedade civil, agregando e fortalecendo a luta de temas comuns das juventudes;
  • Cinco eixos temáticos foram pensados a fim de dar conta desses objetivos estratégicos:
  1. Enfrentamento ao extermínio da juventude negra;
  2. Juventudes, sexualidades e lutas feministas;
  3. Juventudes, desenvolvimento e justiça socioambiental;
  4. Juventudes e democratização das comunicações;
  5. Juventudes, estado laico e superação de intolerâncias;
Nesses termos, seguimos nossos caminhos de luta e militância para a construção de um cotidiano com paz justa e plena de diálogo para que as diferenças sejam evidenciadas na unidade e para que toda forma de intolerância seja subtraída da convivência de nossas juventudes. 

Amém, Asé, Awere, Aleluia, Gasshô, Shalom!

Marechal Floriano, 15 de dezembro de 2014.

*Juventudes: a expressão ‘juventudes’ foi utilizada no plural visando destacar as diversidades presentes na cultura juvenil.

Fonte: CEBI Nacional