Tipos de Feminicídio: Crimes em nome da honra


O futebol como religião secular mundial - Leonardo Boff

A presente Copa Mundial de Futebol que ora se realiza no Brasil, bem como outros grandes eventos futebolísticos, semelhante ao mercado, assumem características, próprias das religiões. Para milhões de pessoas o futebol, o esporte que possivelmente mais mobiliza no mundo, ocupou o lugar que comumente detinha a religião. Estudiosos da religião, somente para citar dois importantes como Emile Durkheim e Lucien Goldmann, sustentam que “a religião não é um sistema de idéias; é antes um sistema de forças que mobilizam as pessoas até levá-las à mais alta exaltação”(Durckheim).

A fé vem sempre acoplada à religião. Esse mesmo clássico afirma em seu famoso “As formas elementares da vida religiosa: ”A fé é antes de tudo calor, vida, entusiasmo, exaltação de toda a atividade mental, transporte do indivíduo para além de si mesmo”(p.607). E conclui Lucien Goldamnn, sociólogo da religião e marxista pascalino:”crer é apostar que a vida e a história tem sentido; o absurdo existe mas ele não prevalece”.

Reza de Junho: casa de Ivonete

Olá!

Mais uma vez nos reunimos para a nossa reza mensal. Fomos muito bem aconchegados na casa de Ivonete, em Cariacica. Foi muito bom lembrarmos que estamos sempre em transformação. Transformação não só física, mas também do nosso ser, do nosso relacionamento com as pessoas, da nossa forma de ver e agir no mundo, da nossa cristandade. 

Bom também foi saber que existem pessoas que nos ajudam nesse processo de transformação. Não estamos sozinhos! Assim como a lagarta se prepara para se transformar em borboleta, assim também nós nos preparamos, com a ajuda dos amigos e companheiros de caminhada, para sermos pessoas melhores e nos transformarmos dia após dia em verdadeiros seguidores e testemunhas do Evangelho.

Foi um momento festivo com ótimas companhias e muita comida boa!!!! Agradecemos o acolhimento da Ivonete! Nos vemos na próxima reza que será na casa de Norberto e Michaela.

Clique aqui e vejas as demais fotos.
Clique aqui e veja as fotos das rezas anteriores e a programação das rezas para 2014.

Jesus: o novo modo de ser pastor

Jesus se apresentava como o Bom Pastor (cf. Jo 10,11). Com bondade e ternura acolhia o povo, sobretudo os pobres (cf. Mc 6,34; Mt 11,28-29). Seu agir revelava um novo jeito de cuidar das pessoas.

Ele ia ao encontro delas, estabelecendo com as mesmas uma relação direta e acolhedora. Jesus apresentava um caminho de vida nova: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados e carregados de fardos, e eu vos darei descanso” (Mt 11,28-30).

Jesus tinha um cuidado especial para com os doentes (cf. Mc 1,32), afastados do convívio social, porque eram considerados castigados e viviam de esmolas. Lançava-lhes um novo olhar, por isso tocava-os para curá-los, tanto da enfermidade quanto da exclusão social.

Mt 16,13-19: Festa de São Pedro e São Paulo - Pe. Tomaz Hughes

A Igreja celebra a festa dos dois grandes apóstolos, Pedro e Paulo. Como evangelho do dia, escolheu-se a história do caminho de Cesareia de Felipe. O relato mais antigo está em Marcos, Cap. 8, 27-38, que se tornou o pivô de todo o Evangelho. A estrutura de Mateus é diferente; mas, o relato tem a mesma finalidade, ou seja, clarificar quem é Jesus e o que significa ser discípulo d’Ele.

A pedagogia do relato é interessante. Primeiro Jesus faz uma pergunta aparentemente inócua: “Quem dizem os homens que é o Filho do Homem?” Assim recebe diversas respostas, pois esta pergunta não compromete, é o “diz que”. Mas a segunda pergunta traz a facada: “E vocês, quem dizem que eu sou?” Agora não vêm muitas respostas, pois quem responde em nome pessoal, e não dos outros, se compromete com as consequências! Somente Pedro se arrisca e proclama a verdade sobre Jesus: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”. Aparentemente, Pedro acertou e realmente, em Mateus, Jesus confirma a verdade do que proclamou! Afirmou que foi através de uma revelação do Pai que Pedro fez a sua profissão de fé. Mas, para que entendamos bem o trecho, é necessário que continuemos a leitura pelo menos até v. 25. Pois, o assunto é mais complicado do que possa parecer.

Mt 10.40-42: Observar todas as coisas que acontecem debaixo do sol - Carlos Musskopf

A visitação é uma prática comum em nossas comunidades. Em alguns lugares, as visitas são realizadas exclusivamente por pessoas que representam o ministério ordenado; em outros lugares, em combinação com grupos de visitação; e ainda em outros, só por visitadoras leigas. Importante é que as pessoas que fazem a visita se saibam enviadas por Jesus Cristo e que entrem na casa e na vida de alguém em nome do Senhor. Que sejam preparadas para ser agentes da justiça restaurativa nos lares.

Receber visita, receber recompensa, ficar com a recompensa – isso acontece com as pessoas que fazem o que é certo, que fazem o que Deus quer. Fica no ar o que acontece com as pessoas que não acolhem os visitadores, que não reagem à mensagem trazida na visita. Sim, vêm à mente todos os textos que falam de vingança, de justiça retributiva, ou seja, da justiça feita com punição e, de preferência, com dor.

A teologia da retribuição afirma que saúde, riquezas, filhos e vida longa eram sinais de que aquela pessoa estava realmente cumprindo a vontade de Deus. O contrário também é verdade. Pobreza, doenças, ausência de filhos são concebidas como consequências da não observância das leis de Deus e, desse modo, como um castigo de Deus.

Para decidir os rumos do Brasil - Frei Betto

Mês que vem começa a propaganda eleitoral compulsiva e compulsória. Mais uma eleição em outubro, da qual é importante todos nós participarmos. Antes, porém, haverá algo tão importante quanto: o Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana, na Semana da Pátria (1° a 7 de setembro).

Eis a ocasião de dar uma virada no jogo! Vamos responder à questão: "Você é a favor de uma Constituinte Exclusiva e Soberana sobre o sistema político?” Adianto aqui a minha resposta: eu sou.

Não será a primeira vez que isso acontece. Em 2002, o presidente FHC queria que o Brasil integrasse a Alca (Área de Livre Comércio das Américas), monitorada pelos EUA. O povo brasileiro foi consultado em plebiscito. Foram coletados 10.234.143 votos em 46.475 urnas em todo o país. O resultado comprovou a vontade popular: 98,32% dos eleitores se manifestaram contra a entrada do Brasil na Alca.

Se eu pudesse, não caía na tua - Romi Márcia Bencke. Reflexão a partir de Mt 10, 40-42.

Não faltam, hoje em dia, propostas, convites, alguns bastante atrativos, para que pessoas encontrem Jesus e transformem suas vidas. Promessas abundantes de fartura, prosperidade, felicidade, vida sem sofrimento: todas fazem parte das estratégias de vender o que é uma “vida nova em Jesus”.

Aliada a muita comunicação e imagem, cada uma destas promessas vem acompanhada de belas paisagens e rostos de pessoas felizes. Há momentos em que as imagens são tão alvissareiras que olhá-las quase causa uma depressão e um certo sentimento de frustração. Quem dera alcançar esta felicidade e realização plena que alguns já encontraram! 

Todas estas abordagens fazem parte de bem pensadas estratégias de missão. Missão e propaganda ocorrem de forma simbiótica.

Idosa de 111 anos recebe diploma de ensino médio

Uma idosa de 111 anos conseguiu finalmente seu diploma do ensino médio. Ela havia abandonado a escola há 96 anos para trabalhar e não conseguiu mais voltar.

A cerimônia de graduação especial foi realizada com dona Lela Burden em uma cadeira de rodas. Em 1918 as escolas tiveram que parar de funcionar por conta de uma epidemia de gripe. 

Os alunos foram aconselhados a ficarem dentro de casa para a doença não se espalhar. Durante o tempo livre, Buden começou a trabalhar em dois empregos. 

Quando as escolas finalmente reabriram, ela já havia se comprometido no trabalho, e nunca mais voltou para pedir seu diploma.

Na semana passada ela finalmente conseguiu. O caso aconteceu na Virgínia, nos EUA. 
Apesar de ter abandonado a escola, a mulher mantém a mente em dia lendo jornais diariamente. 

Ela viveu em Norfolk por 107 anos, e se considera uma jovem: ”Eu não estou velha ainda. Ainda sou uma jovem senhora”, contou.

Documentário: O outro lado da moeda

O aumento no número de crianças e adolescentes exploradas sexualmente, combinadas com o número de desaparecimentos que ocorrem anualmente no Brasil, relevam uma das faces do tráfico de seres humanos. O documentário 1 Real - O Outro Lado da Moeda, revela a trajetória e os números que impulsionam essa economia perversa.

Uma democracia que se volta contra o povo - Leonardo Boff

Uma grita geral da mídia corporativa, de parlamentares da oposição e de analistas sociais ligados ao status quo de viés conservador se levantou furiosamente contra o decreto presidencial que institui a Política Nacional de Participação Social. O decreto não inova em nada nem introduz novos itens de participação social. Apenas procura ordenar os movimentos sociais existentes, alguns vindos dos anos 30 do século pássado, mas que nos últimos anos se multiplicaram exponencialmente a ponto de Noam Chomsky e Vandana Shiva considerarem o Brasil o país no mundo com mais movimentos organizados e de todo tipo. O Decreto reconhece esta realidade e a estimula para que enriqueça o tipo de democracia representativa vigente com um elemento novo que é a democracia participativa. Esta não tem poder de decisão apenas de consulta, de informação, de troca e de sugestão para os problemas locais e nacionais.

Portanto, aqueles analistas que afirmam, ao arrepio do texto do Decreto, que a presença dos movimentos sociais tiram o poder de decisão do governo, do parlamento e do poder público laboram em erro ou acusam de má fé. E o fazem não sem razão. Estão acostumados a se mover dentro de um tipo de democracia de baixíssima intensidade, de costas para a sociedade e livre de qualquer controle social.

Martiria - A espiritualidade do testemunho - Mt 10,26-33 - Orofino

O evangelho lido neste 12º domingo comum está dentro do discurso de Jesus sobre a missão da comunidade cristã (Mt 10,1-42). Portanto, são palavras dirigidas aos discípulos e discípulas que assumiram o apostolado, que acolheram o chamado e o envio em missão. Infelizmente são poucos os discípulos e discípulas que assumem o apostolado. Até hoje. Após a escolha e o envio (Mt 10,1-4), Jesus dá um rumo à missão da comunidade (Mt 10,5-15). A missão não é tanto ir para longe, mas preocupar-se com as pessoas que estão perto e que precisam de apoio, carinho, solidariedade, ajuda. A missão da comunidade é dar prosseguimento à prática de Jesus em favor dos marginalizados pela religião oficial da época dele: os doentes, os leprosos, os possessos. As pessoas enviadas em missão devem anunciar o Reino de uma maneira simples e despojada, sem muitos artifícios de retórica ou de intelectualidade, muito menos em busca de resultados imediatos. Deus tem sua própria lógica.

Mas a mensagem não será transmitida sem conflitos (Mt 10,16). Os apóstolos são como ovelhas em meio a lobos. A imagem de lobo nas passagens bíblicas aponta para as autoridades dentro do povo de Deus. Jesus deixa claro que os apóstolos terão dificuldades com as autoridades religiosas dentro do judaísmo. Por isso, as comunidades devem ser antes de tudo, simples como pombas e prudentes como serpentes. Se o próprio Jesus enfrentou dificuldades com as autoridades religiosas, o mesmo vai acontecer com seus seguidores e seguidoras.

ONU: número de refugiados é o maior desde a Segunda Guerra Mundial

São 51,2 milhões de refugiados em todo o mundo; ONU diz que número cresceu porque mundo está ficando mais violento.

O número de pessoas forçadas a deixar suas casas devido a guerras ou perseguição superou a marca de 50 milhões em 2013 pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial, informou a agência de refugiados da ONU.

O número, de 51,2 milhões, é seis vezes maior que o registrado no ano anterior, e foi inflado pelos conflitos na Síria, no Sudão do Sul e na República Centro-Africana, segundo o relatório da UNHCR.

O alto-comissário da ONU para refugiados, António Guterres, disse à BBC que o aumento é um "desafio dramático" para organizações que prestam ajuda humanitária. "Os conflitos estão se multiplicando, mais e mais", disse Guterres. "E, ao mesmo tempo, conflitos antigos parecem nunca terminar". Há uma preocupação especial com os cerca de 6,3 milhões de pessoas que são refugiados há anos - em alguns casos, há décadas.

Divulgado relatório que aponta graves violações de direitos de indígenas no MS

A Relatoria do Direito Humano à Terra, Território e Alimentação divulgou nesta segunda-feira (16) o relatório “Violações de direitos humanos dos indígenas no Estado do Mato Grosso do Sul”. O documento é resultado de Missão de investigação realizada pela Relatoria nos dias 13 a 17 de agosto de 2013.

A situação dos indígenas no Estado é gritante no campo dos direitos humanos. A negação do acesso ao território implica diversos outros problemas, como a ausência de acesso a alimentação adequada, moradia, além de gerar um contexto de violência e segregação social. Além de apontar as violações, o relatório também traz as recomendações encaminhadas pela Relatoria ao poder público.

O que é a Relatoria

A Relatoria do Direito Humano à Terra, Território e Alimentação integra as Relatorias em Direitos Humanos, uma iniciativa da sociedade civil brasileira que tem como objetivo contribuir para que o Brasil adote um padrão de respeito aos direitos humanos, tendo por fundamento a Constituição Federal, o Programa Nacional de Direitos Humanos, os tratados e convenções internacionais de proteção aos direitos humanos ratificados pelo Brasil e as recomendações de órgãos internacionais.


Fonte: CONIC

O que significa Feminicídio ou Femicídio?


Quem envergonhou o Brasil aqui e lá fora? - Leonardo Boff

Pertence à cultura popular do futebol a vaia a certos jogadores, a juízes e eventualmente a alguma autoridade presente. Insultos e xingamentos com linguagem de baixo calão que sequer crianças podem ouvir é coisa inaudita no futebol do Brasil. Foram dirigidos à mais alta autoridade do pais, à Presidenta Dilma Rousseff, retraída nos fundos da arquibancada oficial.

Esses insultos vergonhosos só podiam vir de um tipo de gente que ainda têm visibilidade do pais, “gente branquíssima e de classe A, com falta de educação e sexista’ como comentou a socióloga do Centro Feminista de Estudos, Ana Thurler.

Quem conhece um pouco a história do Brasil ou quem leu Gilberto Freyre, José Honório Rodrigues ou Sérgio Buarque de Hollanda sabe logo identificar tais grupos. São setores de nossa elite, dos mais conservadores do mundo e retardatários no processo civilizatório mundial, como costumava enfatizar Darcy Ribeiro, setores que por 500 anos ocuparam o espaço do Estado e dele se beneficiaram a mais não poder, negando direitos cidadãos para garantir privilégios corporativos. Estes grupos não conseguiram ainda se livrar da Casa Grande que a tem entrenhada na cabeça e nunca esqueceram o pelourinho onde eram flagelados escravos negros. Não apenas a boca é suja; esta é suja porque sua mente é suja. São velhistas e pensam ainda dentro dos velhos paradigmas do passado quando viviam no luxo e no consumo conspícuo como no tempo dos príncipes renascentistas.

Em favor da Política Nacional de Participação Social

Nos últimos dias, a presidenta Dilma assinou oDecreto da Política Nacional de Participação Social criando, canais de participação popular na administração pública. Ao assinar o decreto, Dilma apenas regulamenta a o que a Constituição previa, desde 1988. No entanto, todos os partidos de oposição e também parte do PMDB decidiram boicotar todas as votações no congresso se a presidenta não retirar ou pelo menos suspender o decreto. 

O CEBI se une à sociedade civil organizada, expressando sua indignação com os congressistas que, de forma infantil e irresponsável, querem barrar a participação popular.

Abaixo, um texto explicativo de Antonio Moroni, do INESC e um manifesto assinado por juristas, acadêmicos, intelectuais e líderes de movimentos sociais.

Bancada conservadora e imprensa corporativa querem barrar participação popular (José Antonio Moroni - INESC)

A forte reação de setores da imprensa e do congresso nacional contra um decreto que organiza o que já existe desde 1988 não pode ficar sem a nossa pronta resposta. O que esta em jogo é o direito da população participar das decisões como sujeito e não como espectador como acontece nas eleições.

Encontro de Amigos (almoço)

Rever os amigos é muito bom!!!

Aconteceu no dia 15 de junho de 2014 mais um encontro de amigos do CEBI. 

Foi muito divertido almoçarmos juntos e colocarmos o papo em dia!

Clique aqui e veja as demais fotos desse dia de alegria e confraternização.


Católicos e muçulmanos vão apoiar retirada de vídeos de intolerância

Organizações religiosas vão entrar com pedido na Justiça para participarem como amicus curiae no processo que pede a retirada da internet de vídeos com mensagens de intolerância aos cultos afro-brasileiros. O anúncio foi feito ontem (11) depois de reunião da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (Ccir), na sede da Arquidiocese do Rio de Janeiro. No encontro, a Igreja Católica e a Sociedade Beneficente Muçulmana do Rio de Janeiro anunciaram apoio à causa dos praticantes das religiões de matriz africana.

A atuação como amicus curiae vai permitir que sejam ouvidos no processo como terceiros, em benefício do interesse do julgamento. No dia 10, o Ministério da Justiça anunciou um grupo de trabalho para debater ações de enfrentamento à discriminação e à violência contra praticantes de religiões de matriz africana, depois de reunião entre o ministro José Eduardo Cardozo e líderes do candomblé e da umbanda, que foram a Brasília pedir garantias para a liberdade de culto.

Quem crê tem vida em abundância - João 3,16-18 - Ildo Bohn Gass

A narrativa para a liturgia deste final de semana está no contexto da conversa entre Jesus e Nicodemos (João 3,1-21). Porém, as palavras de Jesus, que expressam a experiência das comunidades joaninas com o ressuscitado, são dirigidas a todas as pessoas.

A fonte da vida plena está no amor de Deus

Pois Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho único, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3,16).

Antes de tudo, vamos compreender melhor algumas palavras que constam neste evangelho. 

“Mundo” é uma referência a toda ordem injusta, designa tudo o que se opõe ao Reino, ao projeto de Deus. Por isso, diante de Pilatos, Jesus afirma: O meu reino não é deste mundo (João 19,26). Dizendo isso, afirma que o seu projeto não é conforme o reino deste mundo, o mundo de Pilatos. Este era o mundo do império romano, da ocupação militar, da corrupção, da exploração dos pobres, da violência. A missão de Jesus é viver e fazer crescer o Reino de Deus entre nós, para superar as relações deste mundo injusto.

Estudo na Pastoral Operária


Olá!

Dia 25 de maio de 2014 estivemos na Pastoral Operária, em Jardim Tropical, Serra - ES, compartilhando um pouco o que a Palavra de Deus na Bíblia nos ilumina sobre o tema ca Campanha da Fraternidade 2014: Fraternidade e Tráfico Humano.

O grupo acolheu com entusiasmo a proposta de estudo, trazendo outras informações e situações que enriqueceram ainda mais a reflexão.

Até o próximo encontro!

Clique aqui e veja as demais fotos.

Visita do papa a 'Muro da Vergonha' vale por dez anos de intifada palestina, diz especialista

Ida de Francisco à Terra Santa e encontro com presidentes da Palestina e Israel são emblemáticos, avalia o sociólogo Lejeune Mirhan

O encontro promovido pelo papa Francisco entre os presidentes de Israel, Shimon Peres, e da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, no Vaticano, para falar sobre a paz, e a visita papal à Terra Santa no final do mês passado são emblemáticas, avalia o sociólogo, professor, escritor e arabista Lejeune Mirhan, em entrevista a Opera Mundi. Para ele, Francisco "avançou mais do que qualquer outro líder do Vaticano" para fomentar o diálogo entre israelenses e palestinos. 

Peres, Abbas, Francisco e o patriarca ortodoxo Bartolomeo plantaram uma oliveira como símbolo da paz ao término das orações.

Papa Francisco, Abbas e Peres rezam pela paz na Terra Santa

Neste domingo, 8, judeus, católicos e muçulmanos testemunharam um momento histórico no Vaticano: um encontro de oração pela paz no Oriente Médio.

O encontro uniu o presidente de Israel, Shimon Peres, o presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, o Papa Francisco e o Patriarca Ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I, nos Jardins do Vaticano.

Os quatro protagonistas do encontro dirigiram-se ao local da oração todos juntos em uma Van, acompanhados pelo Custódio da Terra Santa, Frei Pierbattista Pizzaballa.

Os líderes chegaram aos Jardins Vaticanos ao som de uma música, para propiciar o clima de oração. O momento de oração foi dividido em três partes, seguindo a ordem cronológica das religiões: Judeus, cristãos e muçulmanos.

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos e Cristãs - SOUC 2014


No dia 06/06/14 aconteceu, na Paróquia São José Operário, Serra-ES, a palestra sobre Ecumenismo com o monge Marcelos Barros. Foi uma noite de oração e reflexão, com a presença de lideranças Igrejas Cristãs da Grande Vitória. Estavam também presentes as entidades: REJU, CEBI, CDDH e AMUS.

Clique aqui e confira as demais fotos.

O Terceiro dia Oração pela Unidade dos Cristãos aconteceu em 03/06, com uma Celebração realizada na Igreja evangélica de Confissão Luterana do Brasil (IECLB) de Jardim Limoeiro - Serra - ES. Animação e a certeza de que as nossas semelhanças e o que nos nos une é muito maior que as nossas diferenças.
Clique aqui e veja as fotos desse 3º dia.




O Segundo dia de Oração aconteceu na Igreja Presbiteriana Unida (IPU), 19:30, no Ibes, Vila Velha. Que bom ver o povo de Deus reunido! Um só rebanho e um só pastor.

Clique aqui e veja as demais fotos desse encontro.


Aconteceu (01/06), 19h, a Celebração de Abertura da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos e Cristãs (SOUC 2014), na Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB), em Vitória-ES.

Celebração marcada pela alegria e descontração como deve ser quando nos encontramos para orar e partilhar a vida. O tema de reflexão neste ano é "Acaso Cristo está dividido? (1 Cor 1,17)".

Clique aqui e veja as demais fotos dessa Celebração de Abertura.

Associação de Mulheres Unidas de Serra - AMUS

Agosto e Setembro de 2014

O último sábado de cada mês, desde maio de 2014, o CEBI-ES teve encontro marcado na Associação da Mulheres da Serra - AMUS.

Nesse ano estamos refletindo sobre "A presença das Deusas na Bíblia". No dia 27/09 aconteceu o último estudo deste ano. As mulheres também se reuniram para eleger a nova diretoria para o próximo triênio, bem como escolheram o tema a ser estudado em 2015: "Maria Madalena a Discípula amada". 

O CEBI-ES enviou Ivonete, Neli e Suely para ajudarem na reflexão.

Clique aqui e veja um pouco desses momentos.


Maio 2014
No sábado, 24 de maio de 2014 aconteceu na Associação das Mulheres da Serra - AMUS o primeiro encontro de 2014 com o tema: A PRESENÇA DAS DEUSAS NA BIBLIA e a assessoria de Ivonete Maria da Silva, Neli Orlandi e Maria Suely Simonasse. A colaboração com a Leitura Popular da Bíblia feita pelo CEBIES na AMUS acontece desde 2009. 

Neste ano serão quatro encontros de reflexão, estudo e partilha de vida. Depois de expressar um pouco da historia do nome a partir do desenho feito por cada uma no crachá, e tendo como pano de fundo a leitura de Provérbios 8,22-31 o grupo trabalhou com argila deixando fluir a imaginação, manuseando o barro, o que tem a ver com Deus, Deusa... ao som da musica O Cio da terra de Chico Buarque. 

Algumas experiências partilhadas pelas mulheres: “o barro tem tudo a ver com nosso ser feminino”. “A terra como nós é geradora de vida”. “Nosso corpo precisa de terra”. “Toda mulher é uma deusa.” “Alimentamos da mãe terra”. “No nosso corpo tem a química da terra”. “A terra é santa, segura nossos pés, da terra foi feito o fogão que cozinhou e nos sustentou”. “A vida depende da terra”. 

Na bíblia: o homem quando faz uma experiência de Deus se torna poderoso (profeta, rei, sacerdote) é uma hierofania, é a experiência do extraordinário que funda o monoteísmo, enquanto a mulher faz uma experiência do ordinário, uma teofania, e o resultado é a gravidez. 

Para perceber a presença das deusas na bíblia foram propostos os seguintes textos bíblicos: Zacarias 5,5-11; Jeremias 44, 15-19 e 1Reis 18,19. Com o poema da Nicaraguense Gioconda Belli o encontro foi encerrado .

Clique aqui e veja as demais fotos desse encontro.

Cântidos Cânticos - Corpos que dançam, desejam e amam

Olá!

Nesta quinta-feira, 06/06 nos reunimos mais uma vez para continuarmos o estudo do Livro do Cântico dos Cânticos, na Sala do CEBI-ES, com o grupo de estudo semanal, amigas e amigos do CEBI-ES e Marcelo Barros.

Clique aqui e veja as demais fotos desse encontro.

III Fórum das Pastorais Sociais

As Pastorais Sociais da Igreja Católica realizam neste sábado dia 07/06 o III Fórum sobre a dimensão social de suas atividades pastorais. O evento acontece de 13h às 18h, na Comunidade Matriz São Pedro, em Muquiçaba, Guarapari e terá como assunto principal "Fraternidade e o Tráfico Humano". 

Este tema foi abordado já esse ano pela Campanha da Fraternidade 2014, promovida durante a Quaresma, pela Igreja Católica. A finalidade do evento é continuar a reflexão do assunto até hoje tão invisível na sociedade brasileira, atualizando os dados para a realidade capixaba e local.

O Evento contará com a presença de João José Santana - Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Vitória, além de Delegada da mulher, padres e outras autoridades locais, que irão abordar o assunto sobre os diversos aspectos.

A entrada é franca e não precisa fazer inscrições!

Mais informações na Secretaria da Paróquia: 3261-1025

Instrumentais para trabalhar os cinco passos da Leitura Feminista da Bíblia

1. Categoria de gênero

A sociedade é um tecido de relações: sociais, geracionais, étnicas, classe e gênero. Elas são relações construídas determinando papeis e atitudes. As relações de gênero masculino e feminino são uma conceituação que cada grupo social elabora determinando o papel a ser ocupado pela mulher e pelo homem na sociedade e as atitudes a serem vividas.
Entendemos como consciência de gênero a capacidade de entender o ser mulher - homem dentro dos parâmetros sócio-culturais e as relações pre-costituidas.

2. Leitura histórica a partir da perspectiva da mulher

A história oficial é his-tory, quer dizer história de homens vencedores, ricos e brancos. As mulheres sobrevivem, melhor são silenciadas e anuladas, quando muito se fala “atrás de um grande homem há uma grande mulher”’. Esta maneira de fazer história é também arraigada na bíblia e presente nas nossas igrejas. Esta tradição marcou a historia da exegese, da teologia, enfim nossa historia de fé é historia patriarcal.
Valem por isso também aqui os três verbos: descontruir – nomear – reconstruir.

Cristo está dividido! - por Marcelo Barros

Para muita gente, a divisão entre as Igrejas cristãs e os conflitos entre as religiões são assuntos internos do clero e não dizem respeito ao mundo. No entanto, há alguns anos, Le Monde des Réligions, revista francesa, publicou que no mundo atual existem 36 guerras ou conflitos de caráter internacional ou de maior repercussão. Desses, mais de dois terços têm como motivo principal, ou pretexto, fatores religiosos. Judeus contra muçulmanos (palestinos) em Israel, hindus contra muçulmanos no sul da Índia, muçulmanos contra cristãos em algumas regiões do Egito e mesmo protestantes contra católicos na Irlanda do Norte, muçulmanos e cristãos ortodoxos na antiga Tchecoslováquia.

Mesmo em países como o Brasil, onde não existem guerras e conflitos abertos entre religiões, diariamente, em alguma parte do Brasil, há notícias de discriminação e violências da parte de cristãos fundamentalistas contra pessoas ou grupos das religiões afrodescendentes. E esses atos de ódio e intolerância são perpretados em nome de Jesus que nunca discriminou ninguém e, ao contrário, elogiou a fé de uma mulher da religião cananeia, de um oficial romano e tomou um samaritano (herege) como modelo para uma de suas principais parábolas. 

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos - SOUC


A busca da unidade é ao longo de todo o ano, mas como gesto concreto todos os anos participamos da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC). 

Promovida mundialmente pelo Conselho Pontífice para Unidade dos Cristãos (CPUC) e pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI), a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC) acontece em períodos diferentes nos dois hemisférios.

No hemisfério norte, o período tradicional para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC) é de 18 a 25 de janeiro. Essas datas foram propostas em 1908, por Paul Watson, pois cobriam o tempo entre as festas de São Pedro e São Paulo, e tinham, portanto, um significado simbólico. 

No hemisfério Sul, por sua vez, as Igrejas geralmente celebram a Semana de Oração no período de Pentecostes (como foi sugerido pelo movimento Fé e Ordem, em 1926), que também é um momento simbólico para a unidade da Igreja. No Brasil, o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) lidera e coordena as iniciativas para a celebração da Semana em diversos estados. Levando em conta essa flexibilidade no que diz respeito à data, estimulamos a todos os cristãos, ao longo do ano, a expressar o grau de comunhão que as Igrejas já atingiram e a orar juntos por uma unidade cada vez mais plena, que é desejo do próprio Cristo (Jo 17:21).

Click aqui e veja como foi a SOUC 2015.

Clique aqui e veja como foi a SOUC 2014.

Clique aqui e veja como foi a SOUC 2013.

João 20,19-31 - A missão da comunidade: "A paz esteja com vocês!" - Mesters, Lopes e Orofino

1. Olhar de perto os acontecimentos da nossa vida

No evangelho de hoje, vamos meditar sobre a aparição de Jesus aos discípulos e a missão que eles receberam. Eles estavam reunidos com as portas fechadas porque tinham medo dos judeus. De repente, Jesus se coloca no meio deles e diz: “A paz esteja com vocês!” Depois de mostrar as mãos e o lado, ele diz novamente: “A paz esteja com vocês! Como o Pai me enviou, eu envio vocês!” Em seguida, lhes dá o Espírito para que possam perdoar e reconciliar. A paz! Reconciliar e construir a paz. Esta é a missão que recebem. Hoje, o que mais faz falta é a paz: refazer os pedaços da vida, reconstruir as relações quebradas entre as pessoas. Sobretudo agora neste ano do jubileu! Relações quebradas por causa da injustiça e por tantos outros motivos. Jesus insiste na paz. Repete várias vezes. As pessoas que lutam pela paz são declaradas felizes e são chamadas filhos e filhas de Deus (Mt 5,9).

1.1 Situando

Na conclusão do capítulo 20 (Jo 20,30-31), o autor diz que Jesus fez “muitos outros sinais que não estão neste livro. Estes, porém, foram escritos (a saber os sete sinais relatados nos capítulos 2 a 11) para que vocês possam crer que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e, acreditando, ter a vida no nome dele” (Jo 20,31). Isso significa que, inicialmente, esta conclusão era o final do Livro dos Sinais. Mais tarde, foi acrescentado o Livro da Glorificação que descreve a hora de Jesus, a sua morte e ressurreição. Assim, o que era o final do Livro dos Sinais passou a ser conclusão também do Livro da Glorificação.

Nossos pressupostos equivocados nos podem liquidar - Leonardo Boff

Inegavelmente vivemos uma crise dos fundamentos que sustentam nossa forma de habitar e organizar o planeta Terra e de tratar os bens e serviços da natureza. Na perspectiva atual eles são totalmente equivocados, perigosos e ameaçadores do sistema-vida e do sistema-Terra. Temos que ir além.

Dois pais fundadores de nosso modo de ver o mundo, René Descartes(1596-1650) e Francis Bacon(1561-1626) são seus principais formuladores. Viam a matéria como algo totalmente passivo e inerte. A mente existia exclusivamente nos seres humanos. Estes podiam sentir e pensar enquanto os demais animais e seres agiam como máquinas, destituídas de qualquer subjetividade e propósito.

Logicamente, essa compreensão criou a ocasião para que se tratasse a Terra, a natureza e os seres vivos como coisas que podíamos dispor à bel-prazer. Na base do processo industrialista selvagem está esta compreensão que persiste ainda nos dias de hoje, mesmo dentro das universidades, ditas progressistas, mas reféns no velho paradigma.

Estudo do Evangelho da Comunidade de Mateus em Guarapari


Reza de maio: casa de Penha, Davi, Kenya e Daniel

Olá!

Como de costume nos encontramos mais uma vez para a nossa reza mensal. Dessa vez, fomos muito bem acolhidos na casa de Penha, Davi, Kenya e Daniel. Rever os amigos sempre ajuda a animar nossa caminhada de fé. Celebrar a vida, dom precioso do Pai, nos faz lembrar da importância do CEBI-ES enquanto promotores da vida e da paz.

Foi um momento festivo com ótimas companhias e muita comida boa!!!! Agradecemos o acolhimento de toda família, que por sinal é grande e muito animada !

Clique aqui e vejas as demais fotos.