Mais de 500 indígenas protocolam no STF denúncia contra deputados racistas

Mais de 500 indígenas, de 100 povos diferentes de todo Brasil, estão reunidos em Brasília até esta quinta-feira (29/05/14) para protestar em defesa dos direitos territoriais dos povos indígenas garantidos na Constituição. Na manhã de hoje (27), os manifestantes irão protocolar uma queixa-crime contra os deputados ruralistas Luís Carlos Heinze (PP-RS) e Alceu Moreira (PMDB-RS) no Supremo Tribunal Federal (STF). Na sequência, será feita uma pajelança na Praça dos Três Poderes em defesa dos direitos indígenas.

Em novembro, durante audiência pública em Vicente Dutra (RS), Heinze disse que índios, quilombolas, gays e lésbicas são “tudo o que não presta”. Na mesma audiência, ele e Moreira defenderam que os produtores rurais contratassem segurança privada para expulsar índios das terras que consideram como suas. Em dezembro, Heinze voltou a ofender índios, quilombolas e gays. As declarações foram gravadas.

Cabe ao juiz determinar o que é religião?

Por Rudolf von Sinner*

Ficamos todos impactados pela notícia de que a Justiça do Rio de Janeiro teria definido que Umbanda e Candomblé não são religião. Causou repúdio e estranheza. De imediato, importa, como cidadão, religioso e acadêmico, solidarizar-se com as religiões de matriz africana, pois sem dúvida é a elas devida toda proteção legal. Qualquer tipo de discriminação precisa ser rejeitado e tratado com as medidas legais cabíveis.

Num segundo pensar, surge a questão: cabe a um juiz definir o que é religião? E por que o faria? Li com atenção a decisão do juiz Eugenio Rosa de Araújo, da 17.ª vara federal do Rio de Janeiro. O juiz não julgou ainda o mérito da causa, apenas rejeitou uma liminar que determinasse de imediato a retirada de vídeos disponíveis no Youtube, mostrando cenas da Igreja Universal do Reino de Deus que denominam entidades divinas afro-brasileiros de demônios, algo já conhecido como praxe daquela igreja.

Ide! Eis que estou com vocês todos os dias! (Mateus 28,16-20) - Edmilson Schinelo

O texto escolhido para meditarmos neste domingo é breve, mas extremamente denso! Trata-se da conclusão do Evangelho de Mateus, os cinco últimos versículos do capítulo 28. Depois que os Onze voltam à Galileia e sobem a montanha (v. 16), eles enxergam o Mestre e se prostram (v. 17). Jesus então se aproxima (detalhe importante!), diz que já recebeu toda a autoridade (v. 18) e envia seu grupo em missão (v. 19), mas com uma promessa: “estou sempre junto a vocês!” (v. 20).

De acordo com Lucas e João, Jesus se manifesta aos Onze, após a ressurreição, quando ainda estão na Judeia (Lc 24,1-49; Jo 20,19-29). No entanto, para Mateus (que se inspira no relato de Marcos), Jesus se despede dos Onze na região onde havia reunido o grupo para começar seu movimento: a Galileia. E, de novo, tal como no anúncio das bem-aventuranças (Mt 5,1), o encontro se dá numa montanha.

Desmate na Mata Atlântica aumenta 9% entre 2012 e 2013, aponta estudo

Total de vegetação derrubada equivale a 24 mil campos de futebol. Levantamento foi divulgado pela ONG SOS Mata Atlântica e o Inpe.

Papa e patriarca de Constantinopla assinam declaração conjunta

O Papa Francisco e o patriarca de Constantinopla (Igreja Ortodoxa), Bartolomeu, assinaram ontem (25) em Jerusalém uma declaração conjunta na qual assumem compromissos comuns em causas sociais e no diálogo entre religiões.

“Temos o dever de oferecer um testemunho comum do amor de Deus por todas as pessoas, trabalhando em conjunto ao serviço da humanidade, especialmente na defesa da dignidade da pessoa humana em todas as fases da vida e da santidade da família assente no matrimónio, na promoção da paz e do bem comum”, assinala o texto, divulgado pela Santa Sé.

Católicos e ortodoxos querem combater “a fome, a pobreza, o analfabetismo, a distribuição desigual de recursos” para construir juntos uma sociedade “justa e humana”.

Bíblia e Juventudes


A equipe de Juventudes do CEBI-ES trabalha para a tender aos anseios das juventudes. O início foi em março de 2014. 

Para nós, o encontro é muito gratificante e prazeroso. Possibilita a troca de experiências e anseios no mesmo ideal de encontrar as soluções para os desafios, numa reflexão e partilha da palavra de Deus de maneira popular contextualizada à realidade.

Clique aqui e veja um pouco do nosso trabalho em 2014. Em 2015 continuamos com toda vontade. Aguardamos você!

Estudo Evangelho da Comunidade de Mateus, em Conceição do Castelo

4º Encontro: 30/08/2014

O encontro sobre o Evangelho segundo a Comunidade de Mateus, que aconteceu no dia 22 de novembro 2014, em Conceição do Castelo, começou com a alegria do reencontro. Brincando de bola, o desejo de vida, coragem e ressurreição. A bola foi passando de mão em mão e animando a caminhada do grupo de ministros e ministras da palavra que atuam nas comunidades.

Tendo como motivação o texto de Mateus 28,1-8, que relata sobre a ressureição de Jesus, os grupos moldaram no barro os sinais de ressurreição presentes nas comunidades de Conceição do Castelo. Neste 4º encontro, o último de 2014, celebramos a vida e os sonhos de um mundo onde reine a partilha, a justiça e a paz.

Clique aqui e vejas as demais fotos desse encontro.

3º Encontro: 30/08/2014


No dia 30 de agosto de 2014 aconteceu na Paróquia Nossa Senhora da Conceição o 3º estudo sobre o Evangelho da Comunidade de Mateus. Vinte pessoas animadas e desejosas de aprofundarem em novos conhecimentos contribuíram para o bom desenrolar do encontro. 

Na mística inicial foi lançado para o grupo o questionamento sobre o Reino de Deus para cada um(a), em seguida cada participante expressou em forma de desenho a concepção sobre o Reino de Deus. Dando prosseguimento ao estudo foi feito uma retrospectiva dos dois primeiros encontros que aconteceram nos meses de março e maio. Entrando no tema do 3º encontro: 3º discurso de Jesus (parábolas) e 4º discurso de Jesus (eclesiológico), foi realizado uma pequena reflexão sobre gêneros literários na bíblia. 

Em seguida, de forma bem divertida, foi feito a dinâmica da casa, morador e tempestade para a divisão dos grupos. A divisão foi de cinco pequenos grupos que trabalharam os seguintes textos: Mt 13,10-17; Mt 13,24-30; Mt 15,21-28; Mt 20,19-34 e Mt 23,13-32. Os grupos foram motivados a utilizarem o método do tatu(cavucar o texto) para extraírem o máximo de informações dos textos, o que foi de grande valia. Após uma parada para o lanche, cada grupo(alguns usando as habilidades teatrais) fez a exposição do resultado dos estudos dos textos. A cada apresentação os assessores contribuíram com uma pequena releitura dos textos estudados. Avaliando o encontro o grupo destacou os seguintes pontos: a dinâmica do reino utilizada na mística inicial, a riqueza dos trabalhos em grupo onde todos tiveram a oportunidade de expor suas idéias, a explanação sobre gêneros literários(a grande novidade do encontro para a maioria), a boa utilização do tempo e os teatros. Finalizando o estudo, rezou-se a oração do Pai Nosso pedindo ao nosso bondoso Deus força e sabedoria para que dada um(a) sejam construtores do reino de paz, amor e justiça.

Clique aqui e veja as demais fotos de encontro.

2º Encontro: 24/05/2014


No dia 24 de maio, na Paróquia NSra da Conceição, em Conceição do Castelo, aconteceu mais um encontro de estudo sobre o Evangelho da Comunidade de Mateus. Foram estudados os dois primeiros discursos do evangelho: Discurso da Montanha e Discurso Missionário. A proposta da equipe do CEBI-ES foi focar na “releitura”, tanto nas releituras que o evangelho faz do Primeiro Testamento como nas releituras que podemos fazer hoje, ligando bíblia e vida. A metodologia da Leitura popular foi explorada com dinâmicas interativas, com cirandas, trabalhos de grupo e técnicas de bibliodrama. 

O grupo de 38 participantes estava bem motivado e com um desejo profundo de conhecer melhor a Palavra de Deus na Bíblia!!!

Clique aqui e veja algumas fotos desse encontro. Até o próximo!

Primeiro encontro: 08/03/2014

O CEBI-ES realizou no dia 08 de março de 2014 o 1º estudo sobre o evangelho da comunidade de Mateus na Paróquia Nossa Senhora Conceição em Conceição de Castelo. Durante o ano de 2014 serão realizados mais 3 estudos. O 1º encontro contou com a participação de 45 pessoas, homens e mulheres desejosos (as) de aprofundarem os conhecimentos sobre a Palavra de Deus. Logo no início o grupo demonstrou toda a descontração na dinâmica que teve várias bolas de soprar jogadas para o alto onde todos (as) tinham a missão de não deixa-las cair. Dentro de cada bola tinham papéis com algumas palavras (Copa do mundo, carnaval, Papai Noel, Big brother Brasil, Eleições, etc) que foram utilizadas para fazermos a mística inicial, onde cada um (a) era estimulado (a) a dizer o que está por traz desses grandes eventos que a mídia tanto valoriza. 
Após a acolhida, apresentação e a mística foi feito uma introdução sobre o evangelho da comunidade de Mateus(autor do evangelho, porque é o primeiro na ordem canônica, situação no espaço e tempo e como está estruturado o evangelho). Em seguida foi realizado um trabalho com seis grupos, onde 5 grupos ficaram com o texto Mt 1, 1-17, que retrata a genealogia de Jesus, e cada um individualmente tinham que fazer a comparação com cinco textos do 1º testamento(Gn 38,1-30(Tamar), Josué 2, 1-7(Raab), Samuel 11, 1-17(Betsabéia), Ruth 1,15-22, Lc 1, 39-45 (Maria). As perguntas para os cinco grupos foram: quais as mulheres que aparecem na genealogia de Jesus?, Quem foi e qual a característica de cada mulher? E qual a importância de termos estas mulheres na genealogia de Jesus. E o sexto grupo ficou com o texto de Mt 2,1,12 e com a tarefa de dizer como Mateus conta o nascimento de Jesus.

Após uma paradinha para o lanhe foi realizada a plenária onde os grupos trouxeram suas descobertas acompanhadas de vários questionamentos. 

Como tarefa de casa ficou a sugestão de todos lerem Mt 3 – 10, que serão os capítulos do próximo encontro que acontecerá dia 24 de maio de 2014. 

Ao final do encontro o grupo avaliou de forma positiva o estudo. A grande descoberta foi saber que tem prostitutas na genealogia de Jesus, tanto que uma pessoa sugeriu de sairmos do “templo” e irmos ao encontro das prostitutas e um questionamento foi levantado: Porque só são narrados nascimentos de homens. Às 16:30 hs o encontro foi encerrado com a benção do padre Rogério Beber. 


Izalete, Adriano e Aguinaldo

5 Passos para a leitura feminista da bíblia

Entendemos por chave de Leitura Feminista da Bíblia o caminho de interpretação que possibilite uma hermenêutica bíblica feminista, que leve a uma leitura libertadora da Bíblia.
A bíblia, para nós mulheres, foi por muito tempo um livro fechado, não somente, ele foi usado para legitimar a exclusão, o domínio, a dependência e até a violência sobre a mulher.
Encontrar a chave para abrir a porta hermeneuticamente fechada, desse livro, é de fundamental importância, pois ao abri-lo poderemos encontrar a Palavra que aponte o caminho para uma leitura e vivencia libertadora da Bíblia.
Chave que consta de cinco passos e três instrumentais.

1º Passo: realidade

A vida, a realidade das mulheres em sua condição de pobre, seu corpo de mulher, suas lutas para se libertar do machismo, sexismo, racismo impostos ou introjetados. Apreender a ler simbolismo que revela a experiência humana o que as palavras não conseguem expressar. Penetrar o simbolismo ligado ao universo da mulher: útero, seios, menstruação, menopausa, casa, amor, alimentação, abnegação.

O pavor dos abastados: a desigualdade e a taxação das riquezas - Leonardo Boff

Está causando furor entre os leitores de assuntos econômicos, economistas e principalmente pânico entre os muito ricos um livro de 700 páginas escrito em 2013 e publicado em muitos países em 2014. Tranasformou-se num verdadeiro best-seller. Trata-se de uma obra de investigação, cobrindo 250 anos, de um dos mais jovens (43 anos) e brilhantes economistas franceses, Thomas Piketty. O livro se intitula O capital no século XXI (Seuil, Paris 2013). Aborda fundamentalmente a relação de desigualdade social produzida por heranças, rendas e principalmente pelo processo de acumulação capitalista, tendo como material de análise particularmente a Europa e os USA.

A tese de base que sustenta é: a desigualdade não é acidental mas o traço característico do capitalismo. Se a desigualdade persisitir e aumentar, a ordem democrática estará fortemente ameaçada. Desde 1960, o comparecimento dos eleitores nos USA diminuiu de 64% (1960) para pouco mais de 50% (1996), embora tenha aumentado ultimamente. Tal fato deixa perceceber que é uma democracia mais formal que real.

Mensagem ao Dia Nacional dos Ciganos

A Pastoral dos Nômades do Brasil, vinculada à Comissão para à Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz da CNBB, envia mensagem por ocasião do Dia Nacional dos Ciganos, comemorado em 24 de maio. O texto é assinado pelo bispo de Eunápolis (BA) e presidente da Pastoral dos Nômades, dom José Edson Santana Oliveira, que apresenta reflexão sobre os nômades que vivem pelo mundo.

O bispo recorda que são pessoas muitas vezes maltratadas pelas estruturas sociais. “Tem o direito a serem acolhidos como brasileiros que amam a sua pátria e estarem livres de todo o tipo de preconceito e exclusão”, disse dom Edson.

Leia a íntegra do texto:

João 14,15-21: O Espírito da Verdade defende a comunidade - Ildo Bohn Gass

No evangelho proposto para a liturgia deste final de semana, Jesus segue sua conversa com a comunidade de discípulos e discípulas. O contexto é a última ceia que Jesus realiza com o seu grupo na noite antes de ser preso. São as últimas horas que ele passa com o seu grupo, antes de as forças militares romanas e os guardas do templo, enviados pelos sumos sacerdotes e fariseus, e guiados por Judas Iscariotes, o prenderem no jardim do outro lado da torrente do Cedrom (18,1-3). A comunidade está sentada ao redor da mesa, partilhando o pão e participando da angústia de Jesus (13,21-30). Então, ele lhes dá um novo mandamento (13,34-35). Fala-lhes de sua intimidade amorosa com o Pai, apresentando esse amor incondicional como o caminho, a verdade e a vida. A missão das pessoas que creem em Jesus, aderindo ao seu projeto de vida, é fazer as mesmas obras que ele fez e até obras maiores (14,1-14).

O texto de hoje dá sequência a essa conversa íntima que Jesus estabelece com quem lhe é fiel. Ele quer dar esperança à sua comunidade que está preocupada em como realizar essa missão no seguimento do mestre, quando ele não estiver mais fisicamente presente. Como superar o medo, quando Jesus não estiver mais com seus seguidores e quando vierem as perseguições? E Jesus diz: “Não vos deixarei órfãos” (14,18). “Meu Pai dará para vocês outro advogado ou defensor, a fim de que ele esteja para sempre com vocês” (14,16).

Reunião de Coordenação

No dia 18 de maio realizamos a reunião trimestral de coordenação. Inicialmente, a partir do encontro da Samaritana com Jesus refletimos sobre quais são as nossas sedes e quais são as nossas nossas águas. Esse será o tema da Assembleia Nacional nos dias 14, 15 e 16 de novembro deste ano, em Guarulhos-SP. Nesse sentido, ouvimos de  Fatinha e Josué, que foram na Reunião do CEBI Sudeste (em Sabará-MG), que as prioridades do CEBI foram distribuídas em 04 eixos: Juventude, povos originários, a questão de gênero e a sócio-ambiental.

Enfim, nossa reunião, como sempre, teve muita descontração e a certeza de muito trabalho pela frente. Aos poucos vamos informando a vocês aqui mesmo no Blog. 

Clique aqui e veja as demais fotos.

Visão Geral do Evangelho da Comunidade de Mateus

Olá!

No dia 10 de maio de 2014 tivemos um dia dedicado a estudar uma Visão Geral do Evangelho da Comunidade de Mateus. O encontro foi na nossa sala, no centro de Vitória. Estudar juntos é sempre muito bom e prazeroso! Como diz a canção: "... aprender um pouco mais, é Evangelho permanente, crescer na fé, em Jesus Cristo é missão de toda gente ...". E foi nessa motivação que olhamos para a nossa realidade e estudamos como o Evangelho da Comunidade de Mateus lança luzes para o nosso caminhar.

Clique aqui e veja as demais fotos do encontro.

Nota de solidariedade à Umbanda e ao Candomblê

As organizações abaixo relacionadas, integrantes do Fórum Ecumênico ACT Aliança Brasil (FEACT BRASIL) expressam sua incondicional solidariedade com todas as religiões de matriz africana, em especial Umbanda e Candomblé.

Junto com nossos irmãos e irmãs do Candomblé e da Umbanda, cabe-nos expressar nossa contrariedade em relação ao conteúdo expresso pela decisão do Juiz Eugênio Rosa de Araújo que, além de negar a solicitação do Ministério Público Federal, para que a Google Brasil retirasse doYoutube vídeos que incitam à intolerância contra as religiões de matriz africana, considerou que estas não constituem religião. Causou-nos surpresa os critérios utilizados pelo magistrado para definir o que ele considera ser religião.

Estudo do Evangelho da Com. de Mateus em Vila Capixaba, Cariacica.

11/10/2014

O último encontro de estudo do Evangelho da Comunidade de Mateus na Paróquia Santíssima Trindade aconteceu no sábado, dia 11/10/2014. Foi bem proveitoso, participativo e dinâmico. Os textos bíblicos foram trabalhados em pequenos grupos que discutiram algumas questões que foram propostas e apresentaram a síntese das discussões, além de algumas ricas encenações do texto lido. O CEBI-ES enviou Ivonete, Ir. Luiza e Bimbo para ajudarem na reflexão.

Clique aqui e vejas as fotos.



17/05/2014

Aconteceu na tarde de 17 de maio de 2014, o segundo encontro de estudo do Evangelho da Comunidade de Mateus na Paroquia Santíssima Trindade em Vila Capixaba, Cariacica. Com o tema: Revelação de Jesus e rejeição dos dirigentes de Israel. O encontro contou com os facilitadores Bimbo e Ivonete e a presença de 25 pessoas que estudaram com muito entusiasmo e alegria o segundo bloco do Evangelho de Mateus.

Clique aqui e veja as demais fotos do evento.

Espiritualidades indígenas: O direito de propriedade não é sagrado!

O CEBI apoiou e acompanhou com alegria o encontro sobre Espiritualidades Indígenas, que se realizou em Campo Grande entre os dias 10 a 14 de maio. O evento reuniu seis povos indígenas de quatro países: Paraguai, Bolívia, Chile e Brasil. Cada povo teve uma manhã ou uma tarde para celebrar, falar de sua história e de sua espiritualidade.

Ao todo, eram cerca de 150 lideranças indígenas Guarani e Kaiowá (Mato Grosso do Sul), Xavante (Mato Grosso), Terena (Mato Grosso do Sul) Pãi Tavyterã (povo guarani do Paraguai), Aimara (Chile e Bolívia) e Qéchua (Chile). Além do intercâmbio grande intercâmbio cultural e religioso, o encontro serviu de estímulo à luta desses povos por terra, água e dignidade.

Ao final do encontro, os representantes redigiram um texto no qual voltam a denunciar a violação dos direitos dos povos indígenas e quilombolas, exigindo o cumprimento da Convenção 169, da qual o Brasil é signatário:

"Deus fez a terra e tudo o que nela existe para que vivamos em harmonia. O direito de propriedade não é sagrado. A terra não pertence e não tem um dono a não ser Deus, que entregou a terra para vivermos. Somos povos com culturas diferentes, localizados em países diferentes, mas sofremos as mesmas perseguições, as mesmas negações de direitos, pois não somos contemplados pelo modelo de desenvolvimento adotado por nossos governantes.

Credo das Comunidades Eclesiais de Base (CEB's)



1. Nós cremos em Deus Criados
Senhor de toda religião
E Pai de todo ser.
La longe da inquisição
Os credos são diversos
Nós cremos no mistério do amor que vai vencer.
E nós cremos na Igreja Mãe que é comunidade
E tem sabor de CEBs para nós…

2. Nós cremos em Jesus
Que pormeteu justiça aos pobres
E ensinou discípulos a não querer poder
Não cremos nos pastores aliados com os nobres
Eles serão os últimos
É preciso crer para ver
E nós cremos na Igreja Mãe que é comunidade
E tem sabor de CEBs para nós…

3. Nós cremos no Espírito
Que excita com seu povo
Os corações proféticos
A levantar a vós
Contra toda exclusão
A vida está em jogo
Trata a luta é pra já
Aleluia é pra depois!
E nós cremos na Igreja Mãe que é comunidade
E tem sabor de CEBs para nós…

4. Estamos com Maria e também com Madalena
Queremos mais amor de mãe e carinho de mulher
Tradições de homens só não valem mais
Nós cremos em Débora, Sara e Ester…
E nós cremos na Igreja Mãe que é comunidade
E tem sabor de CEBs para nós…

Diga NÃO ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

Começa no dia 18 de maio, e vai até o dia 23, a Semana Nacional Contra o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Em várias cidades do Brasil serão realizadas mobilizações. O objetivo dessas atividades é conscientizar a sociedade brasileira para o enfrentamento da violência sexual infanto-juvenil.

A data foi escolhida porque em 18 de maio de 1973, em Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Crime Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade que foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada por jovens de classe média alta daquela cidade. Esse crime, apesar de sua natureza hedionda, prescreveu impune – CLIQUE AQUI para saber mais.

O Movimento Paz & Proteção convida você a fazer parte dos esforços pela proteção de crianças e adolescentes.

CONIC emite declaração de apoio ao aiatolá Masoumi-Tehrani

No início de abril, o aiatolá Masoumi-Tehrani, clérigo muçulmano de destaque no Irã, presenteou os bahá'ís com uma obra de caligrafia composta a partir dos escritos de Bahá’úlláh, o profeta-fundador da Fé Bahá'í. Em seu site, o aiatolá afirmou que preparou a iluminura como uma ação para lembrar da importância da valorização do ser humano e da convivência pacífica.

O ato por si só já é bastante louvável, tendo em vista que, no Irã, a comunidade bahá'í vem sofrendo inúmeras perseguições pelo simples fato de professarem a própria fé. Devido ao ato de extrema generosidade deste clérigo, e em apoio ao diálogo constante entre as religiões, o CONIC emite uma nota (abaixo) em apoio à atitude de Masoumi-Tehrani.

Declaração de apoio ao aiatolá Tehrani

Um estribilho de uma música muito conhecida no movimento ecumênico brasileiro diz: “Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão. Se fecharem os poucos caminhos, mil trilhas nascerão”.

João 14,1-17: "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida!” A missão de Jesus e a nossa missão - Mesters, Lopes e Orofino

No texto de hoje, vamos meditar mais um aspecto da conversa que Jesus teve com os seus amigos, durante a última ceia, na véspera de ser preso e morto. Era uma conversa amiga bem prolongada, que ficou na memória do Discípulo Amado. Jesus, assim parece, queria prolongar ao máximo esse último encontro amigo, momento de muita intimidade. O mesmo acontece hoje. Tem conversa e conversa. Conversa superficial que gasta palavras à toa e revela o vazio das pessoas, e tem conversa que vai fundo no coração. Todos nós, de vez em quando, temos esses momentos de convivência amiga, que dilatam o coração e vão ser força na hora das dificuldades. Ajudam a ter confiança e a vencer o medo.

1. Situando

1. Nos cinco capítulos que descrevem a despedida de Jesus (Jo 13 a 17), percebe-se a presença daqueles três fios de que falamos na Introdução: a fala de Jesus, a fala das comunidades do Discípulo Amado e a fala daquele que fez a última redação do Quarto Evangelho. Nestes capítulos, os três fios estão de tal maneira entrelaçados que o todo se apresenta como uma peça única de rara beleza e inspiração, em que é difícil distinguir o que é de um e o que é do outro.

2. Estes cinco capítulos (Jo 13 a 17) são um exemplo de como as comunidades do Discípulo Amado faziam catequese. Por exemplo, o capítulo 14 é uma catequese que ensina as comunidades como viver sem a presença física de Jesus. Eles faziam isso por meio de perguntas e respostas. As perguntas dos três discípulos, Tomé (Jo 14,5), Filipe (Jo 14,8) e Judas Tadeu (Jo 14,22), eram também as perguntas das comunidades. Assim, as respostas de Jesus para os três eram um espelho em que as comunidades encontravam uma resposta para as suas próprias dúvidas e dificuldades.

Consumo de álcool no Brasil é superior à média mundial, diz OMS

Levantamento divulgado nesta segunda aponta ainda que consumo no País deve voltar a crescer após queda registrada entre 2003 e 2010

GENEBRA - O abuso no consumo de álcool no Brasil supera a média mundial e apresenta taxas superiores a dezenas de países. Os dados são da Organização Mundial da Saúde que, em um informe publicado nesta segunda-feira, 12, alerta que 3,3 milhões de mortes no mundo em 2012 foram causados pelo uso excessivo do álcool, 5,9% de todas as mortes. Segundo a entidade, não apenas a bebida pode gerar dependência, mas também poderia levar ao desenvolvimento de outras 200 doenças.

Entre os 194 países avaliados, a OMS chegou a conclusão de que o consumo médio mundial para pessoas acima de 15 anos é de 6,2 litros por ano. No caso do Brasil, os dados apontam que o consumo médio é de 8,7 litros por pessoa por ano. Esse volume caiu entre 2003 e 2010. Há dez anos, a taxa era de 9,8 litros por pessoa.

Moderadora da Igreja Presbiteriana Unida (IPU) faz homilia durante celebração ecumênica da CNBB

Por ocasião da 52° Assembleia Geral da CNBB, foi realizada, no dia 6 de maio, uma celebração ecumênica envolvendo cristãos das mais variadas denominações. Ortodoxos, anglicanos, luteranos, presbiterianos, além dos anfitriões católicos, se uniram em prol de uma causa comum: o diálogo e a convivência entre irmãos.

A homilia da noite foi feira pela moderadora da Igreja Presbiteriana Unida (IPU), Anita Wright. O tema da celebração foi o mesmo da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que será realizado entre 1º e 8 de junho: “Acaso, Cristo está dividido?”.

O questionamento de São Paulo na Primeira Carta aos Coríntios pautou a reflexão apresentada durante a cerimônia pela presbítera Anita Sue Wright Torres. “Esta celebração mostra que Cristo não está dividido. Estamos unidos pela mesma causa, a mesma fé, um só Senhor e um só batismo. É nisso que cremos, e aqui compartilhamos este sentimento, é a esta certeza de nossa fé”, afirmou.

Para ler a íntegra da reflexão de Anita Wright, CLIQUE AQUI.

Fonte: CONIC

Nesse dia das Mães, demos um BASTA À VIOLÊNCIA EM NOME DE DEUS! (em nome das meninas nigerianas sequestradas)

O CEBI se une à Rede Anglicana Internacional da Mulher, denunciando a inércia dos governos em relação ao sequestro das mais de 200 meninas nigerianas. NESSE DIAS DAS MÃES, DEMOS UM BASTA AO FUNDAMENTALISMO E À VIOLÊNCIA EM NOME DE DEUS!

Abaixo a notícia:

Líderes da Rede Anglicana Internacional da Mulher (IAWN) convocaram as mulheres de toda Comunhão Anglicana a fazer o possível para ajudar as mais de 200 meninas sequestradas na Nigéria pelo grupo terrorista Boko Haram, no dia 14 de abril.

Jo 10,1-18: Jesus é o Bom Pastor [Mesters, Lopes e Orofino]

Nessa reflexão, vamos meditar sobre a imagem do Bom Pastor.

Jesus é o Bom Pastor que veio para que todos tenham vida em abundância. O pastor era a imagem e o símbolo do líder. Jesus diz que muitos se apresentavam como pastor, mas na realidade eram ladrões e assaltantes. Hoje acontece a mesma coisa. Muitas pessoas se apresentam como líderes, mas na realidade são ladrões e assaltantes, pois, em vez de servir, buscam os seus próprios interesses. E, às vezes, têm uma fala tão mansa e fazem uma propaganda tão inteligente, que conseguem enganar o povo.

Situando

1. O discurso sobre o Bom Pastor traz três comparações ligadas entre si:

a) pastor e assaltante (Jo 10,1-5);
b) comparação: Jesus é a porteira das ovelhas (Jo 10,6-10);
c) comparação: Jesus não é simplesmente um pastor, e sim o Bom Pastor (Jo 10,11-18).

2. Temos aqui outro exemplo de como foi escrito o Evangelho de João.

O discurso de Jesus sobre o Bom Pastor (Jo 10,1-18) é como um tijolo inserido numa parede já pronta. Com ele a parede ficou mais forte e mais bonita. Imediatamente antes, em Jo 9,40-41, João falava da cegueira dos fariseus. A conclusão natural desta discussão sobre a cegueira está logo depois, em Jo 10,19-21. Ora, o discurso sobre o Bom Pastor foi inserido aqui, porque, como veremos, ensina como tirar esse tipo de cegueira dos fariseus.

Juventude na Mira da lei.


Fonte: Jornal A Gazeta, 09/05/2014.

Bispos aprovam documento sobre a Questão Agrária

O plenário da 52ª Assembleia Geral da CNBB aprovou na tarde desta quarta-feira, 7 de maio, o Documento sobre a visão da Igreja em relação à Questão Agrária Brasileira no século XXI. O processo de construção começou há 5 anos. Desde o ano passado foi publicado como um texto de estudo da CNBB e recebeu contribuições de diversos bispos e dioceses.

O Documento aprovado está dividido em três partes. Na primeira, faz uma contextualização da situação agrária atual. “Nessa parte, os bispos mostram quais são os gritos ensurdecedores que brotam de tantas realidades, como os povos indígenas, os quilombolas, os pescadores, os ribeirinhos, os extrativistas”, explica o presidente da Comissão Pastoral da Terra, dom Enemésio Lazarris.

A segunda parte traz o olhar dos bispos sobre a atual questão agrária, abordando a posse e o uso da terra à luz da Sagrada Escritura e dos Documentos da Igreja. Já na terceira parte, surgem os compromissos pastorais diante da questão. Dom Enemésio destaca que o Documento “é a palavra de mais de 350 bispos hoje para a sociedade em geral sobre este tema importante”. Segundo ele, “não se destina apenas para dentro da comunidade eclesial, mas para toda a sociedade”.

CNBB aprova campanha contra a fome

A campanha da Cáritas Brasileira “Uma família humana, pão e justiça para todas as pessoas” foi apresentada na 52ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), pelo bispo de Santarém (PA) e presidente da Cáritas no Brasil, dom Flávio Giovenale. A iniciativa receberá o apoio da CNBB nas suas ações.

A campanha teve início em dezembro do ano passado. No Brasil, de acordo com a Cáritas, a partir do contexto e da realidade do país, será trabalhada como “Uma família humana, pão e justiça para todas as pessoas”.

Dom Giovenale explicou durante entrevista coletiva, na tarde de hoje, dia 8, que o combate à fome é o primeiro objetivo apontado pela Organização das Nações Unidas (ONU), nas metas para este milênio, buscando eliminá-la até 2025. Ele ainda destacou que a campanha tem o desejo de sensibilizar populações, governos e entidades para atingir o que foi proposto pela organização. Entretanto, segundo o bispo, não há respostas concretas sobre a questão em várias partes do mundo. “Nós estamos já em mais da metade do caminho e vários países, vários governos nem começaram ainda o trabalho para eliminar a fome”, lamentou.

O tempo das utopias mínimas viáveis - Leonardo Boff

Não é verdade que vivemos tempos pós-utópicos. Aceitar esta afirmação é mostrar uma representação reducionista do ser humano. Ele não é apenas um dado que está ai fechado, vivo e consciente, ao lado de outros seres. Ele é também um ser virtual. Esconde dentro de si virtualidades ilimitadas que podem irromper e concretizar-se. Ele é um ser de desejo, portador do princípio esperança (Bloch), permanentemente insatisfeito e sempre buscando novas coisas. No fundo, ele é um projeto infinito, à procura de um obscuro objeto que lhe seja adequado.

É desse transfundo virtual que nascem os sonhos, os pequenos e grandes projetos e as utopias mínimas e máximas. Sem elas o ser humano não veria sentido em sua vida e tudo seria cinzento. Uma sociedade sem uma utopia deixaria de ser sociedade, lhe faltaria um fator de coesão interna, um rumo definido pois afundaria no pântano dos interesses individuais ou corporativos. O que entrou em crise não são as utopias, mas certo tipo de utopia, as utopias maximalistas vindas do passado.

"Eu te desafio a me amar" - Agenda contra a homofobia

O projeto "Eu te desafio a me amar" objetiva contribuir para a visibilidade das demandas sobre os direitos humanos da população LGBT no Brasil. COORDENADA PELO INESC, ENTIDADE PARCEIRA DO CEBI, a iniciativa conjuga exposição de fotografia da artista visual holandesa/uruguaia Diana Blok (para acessar,clique aqui), que retrata personalidades, famílias e militantes LGBT no Brasil desde 2013; e fóruns de debates políticos sobre o tema. As atividades terão início em abril e se estendem até maio, mês internacional de combate à homofobia, e ocorrerão em Brasília e Rio de Janeiro. Para assistir ao teaser do projeto, clique aqui.

Exposições de Fotografia

Eu te desafio a me amar, exposição da artista Diana Blok, coloca em foco a identidade sexual no Brasil, a diversidade das relações afetivas e as questões de alteridade. O trabalho de 'ativismo visual' traz imagens e depoimentos sobre os desafios de existência na relação com o outro, ao mesmo tempo que sinaliza para processos de identificação no compartilhamento de aspectos da vida comum da qual fazem parte a família, a intimidade da casa, o cotidiano, o trabalho, o cuidado com a beleza e os desejos de pertencimento. (Cinara Barbosa- Curadoria)

Prisões são as senzalas de hoje, diz ativista da Pastoral Carcerária

Em entrevista a CartaCapital, o padre Valdir Silveira afirma que o problema é anterior ao cárcere e reside no Sistema Judiciário

"O CNJ veio para mostrar à sociedade como o Judiciário do Brasil está caminhando errado"

Questionado se a prisão pode ser modificada e cumprir o papel de um centro de reforma e ressocialização para o preso, o padre Valdir Silveira não titubeia ao apontar o sistema carcerário como um grande violador dos direitos fundamentais. “O presídio não reintegra ninguém. É a instituição na qual se garantem as violações de diretos básicos da pessoa. Então, tudo o que vai a favor do direito de alguém é quebrado”, avaliou em entrevista aCartaCapital.

À frente da Pastoral Carcerária, Valdir lembra que qualquer um sabe que “o preso sai da cadeia mais perigoso do que entrou” e alerta que as prisões funcionam como mantenedoras de um status quo social: “No Brasil, podemos comparar o presídio às senzalas. Há um perfil bem definido das pessoas que estão lá dentro”.

Cadernos da Semana de Oração já estão disponíveis!


Os Cadernos da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos já estão disponíveis para venda. No site do CONIC (www.conic.org.br, precisamente neste LINK) todos poderão ter acesso a mais informações e baixar gratuitamente o cartaz da SOUC.

Como adquirir os materiais?

Este ano o Cartaz será enviado gratuitamente a todos que adquirirem os Cadernos de Oração. Isso se dará por uma questão prática: como o Cartaz não será vendido, aproveitaremos o envio dos Cadernos para, com eles, encaminhar o Cartaz. Contudo, a arte do Cartaz também pode ser baixada neste LINK. Para adquirir os Cadernos, efetue o depósito identificado no valor correspondente à quantidade desejada e mande um e-mail com o comprovante para conic@conic.org.br.

Banco Bradesco
Agência: 0606-8 Brasília/DF
Conta Poupança: 112888-4

Obs.: não esqueça de indicar o endereço para o envio dos materiais!

O adeus a Dom Tomás Balduíno - Leonardo Boff

Dom Tomás Balduino, bispo emérito de Goiás Velho, foi um dos grandes profetas e pastores que Deus enviou à Igreja do Brasil. Junto com outro profeta, pastor e poeta Dom Pedro Casaldaliga fundou a Comissão Indigenista Missionária (CIMI) e a Comissão Pastoral da Terra (CPT). Foram os amigos e defensores de indígenas, posseiros, migrantes e das vítimas do assalto que o Capital brasileiro e internacional faz sobre nossas florestas, sobre nossa biodiversidade e especialmente sobre os habitantes que por incontáveis gerações habitaram essas terras. Se queremos preservar a Amazônia precisamos preservar os filhos e filhas da floresta. Eles conhecem esse mapa como nós manejamos um catálogo telefônico. Dom Tomás partiu para a Terra sem Males. De lá acompanhará o povo brasileiro mais esquecido e desvalido: indios, posseiros, negros e pobres. Reproduzimos aqui um artigo da Comissão Pastoral da Terra (CPT) que realça o alto valor que Dom Tomás tinha para todo o pais e para essa gente empobrecida que ele tanto amou e que foi tanto amado por ela: LBoff

O adeus a Dom Tomás Balduino

O adeus a Dom Tomás Balduino, bispo emérito da cidade de Goiás (GO) e fundador da Comissão Pastoral da Terra (CPT).
Durante três dias milhares de pessoas se despediram de Dom Tomás e assumiram continuar as causas que ele defendia e as lutas que ele apoiava.

“Não nos deixem sozinhos!” clamou uma indígena Krahô durante celebração no velório de Dom Tomás Balduino, falecido na última sexta-feira, 02 de maio. O pedido dirigido sobretudo à Igreja, estende-se também aos amigos, amigas, militantes, admiradores e admiradoras de Dom Tomás.

Convite para realização do curso de Direitos Humanos

Início dia 31/05 e término em 06/12.
As aulas serão quinzenalmente aos sábados de 8:00 às 17:00 horas.


Celebração ecumênica: “Cristo não está dividido”

Como já é tradição nas Assembleias Gerais da CNBB, foi realizada dia 6 de maio, uma celebração ecumênica com a participação dos bispos e de representantes de diversas igrejas cristãs. A cerimônia foi organizada pela Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso da CNBB.

Para o presidente da Comissão, dom Francisco Biasin, este é um evento muito importante na programação da Assembleia Geral. “Neste tempo de pluralismo religioso, temos que valorizar o diferente, o diálogo e o respeito. É uma atitude de abertura e acolhimento de toda a riqueza que as igrejas e as religiões podem dar ao nosso caminho de fé”, disse.

Encontro de Frei Betto com o Papa: “foi rápido, mas consistente, eu disse tudo o que precisava”

Um rápido encontro entre Frei Betto e o Papa Francisco, no último dia 09 de abril, em Roma, na Itália, após a audiência geral realizada todas às quartas-feiras, causou grande controvérsia e a publicação de informações desencontradas. O fato é que o breve encontro, de acordo com Frei Betto em entrevista à Adital, foi o suficiente para que ele pudesse fazer pedidos importantes ao Sumo Pontífice.

Em janeiro deste ano, o frei dominicano enviou uma carta ao Papa dizendo que estaria em Roma de 07 a 14 de abril. Com a ajuda do jornalista italiano Antonio Vermigli e de um vaticanista, a carta chegou às mãos de um assessor direto do Papa, que marcou para que Frei Betto comparecesse à audiência da quarta-feira, pois o Francisco o conhecia e queria falar com ele.

"Quando o Papa passou junto ao lugar em que eu me encontrava eu disse: Santo Padre, eu quero agradecer a carta que o senhor enviou às Comunidades Eclesiais de Base no encontro em Juazeiro (Juazeiro do Norte, no Estado do Ceará), em janeiro, mas eu gostaria que o senhor sempre lembrasse que as Comunidades não são um movimento da Igreja, são a própria Igreja no meio dos pobres. Gostaria que o senhor também sempre dialogasse, como pai amoroso, com a Teologia da Libertação, que é uma filha fiel à Igreja e que sempre se lembre dos povos indígenas. O encontro foi rápido, mas foi consistente, eu disse tudo o que precisava”, relatou Frei Betto.

I Encontro Nacional de Juventudes e Espiritualidade - Entrevista Cláudio Vereza

Deputado estadual pelo Partido dos Trabalhadores, começou sua atuação pública no meio popular e nas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs). Educador popular e jornalista formado pela Universidade Federal do Espírito Santo. (UFES), É um dos fundadores do Movimento Fé e Política e falou sobre espiritualidade na prática política partidária

I Encontro Nac.de Juventudes e Espiritualidade Libertadora - Fortaleza/C...

Entrada das Bandeiras de Luta, por Cláudio Vereza.

Seminário Nacional do CEBI - Povos Originários

Nos dias 01 e 04 de Maio, na sede do CIMI Conselho Indigenista Missionário (Vicente Cañas), em Luziânia, Goiás aconteceu o Seminário Nacional - Povos Originários. Houve representantes de todas as regiões do Brasil. Vinte e nove pessoas com objetivo de aprofundar a espiritualidade dos povos originários. Éramos 17 mulheres e 12 homens de 20 estados do Brasil, 26 de tradição católica, 02 de tradição evangélica e 01 indígena guajajara Cíntia Maria Santana da Silva do estado do Maranhão. Com a contribuição de Ir. Laura Vicuña Pereira Manso, filha de índios e trabalha em Porto Velho, RO com vários povos indígenas, especialmente o povo Karitiano aprendemos sobre a antropologia religiosa indígena. Vimos ainda alguns aspectos em que o cristianismo e a Bíblia dificultaram no famosos processo de evangelização.

O que mais me marcou foram as experiências contadas por Cíntia como o ritual de iniciação "passar paçoca no bebê para que aprenda a comer comida de panela" e a festa do "Moqueado" ou festa da "Tocaia" que celebra a primeira menstruação da menina moça! “Numa tocaia a jovem fica de resguardo cerca de 8 dias”.... muito interessante essa historia, mas quem quiser saber mais e estudar sobre os povos originários venha para o CEBI iremos propor um grupo de estudo. Assim poderemos compartilhar e ver os vários vídeos, conhecer e estudar os diversos povos indígenas que ainda insistem em viver em nosso país. E também contribuir pela luta dos povos originários. Como resultado do Seminário escrevemos e assinamos uma carta pedindo o fim da PEC 215.

Clique aqui  e veja as fotos.

Clique aqui  e veja a carta de repúdio à PEC 215 e pela defesa da demarcação das terras dos indígenas e quilombolas.

Por Ivonete, representante do CEBI-ES no Seminário.

Estudo do Evangelho da Comunidade de Mateus, em Vila Velha

Olá!

Fizemos no dia 04/05/14, juntos com Comunidade de Santo Expedito, Paróquia Nossa Senhora da Glória, em Vila Velha, o estudo do “Evangelho segundo a Comunidade de Mateus”.

O encontro foi muito participativo e interativo. Contou com a presença de aproximadamente de 90 pessoas, entre coordenadores de Comunidades, catequistas e outras lideranças das comunidades da Paróquia.
Agradecemos a cada uma e cada um pela participação, e ao Padre Eduardo pelo convite e pela presença.

Clique aqui  e veja as demais fotos encontro.

Até o próximo encontro!!!

Reflexão bíblica com os pastores da Igreja Luterana, Domingos Martins

No dia 03/05/14 aconteceu um encontro de reflexão bíblica com pastores da Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil (IECLB - UP Jucu), motivado por uma equipe do CEBI-ES: Gildo, Sidineia, Fatinha e apoio de Jorge. 

Apesar do frio, a acolhida foi muito calorosa e aqueceu nossos corações.

Clique aqui e veja as demais fotos do encontro.

Estudo na Igreja Evangélica de Confissão Luterana, Domingos Martins

Olá!

No dia 03/05/14 retornamos a Domingos Martins (Califórnia), na Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil (IECLB - UP Jucu), para continuarmo nosso estudo. Dessa vez nos nos debruçamos sobre a primeira geração de Cristão e Cristãs, aprofundando as Cartas Paulinas.

O grupo presente é formado por orientadores e orientadoras do ensino confirmatório da IECLB da União Paroquial Jucu. A facilitação foi feita por uma equipe do CEBI-ES: Sidineia, Gildo e Fatinha, com apoio de Jorge.

Clique aqui e veja as demais fotos desse momento de partilha e aprendizado.

Até o próximo encontro.

Haveria oferta se não houvesse uma procura?

Este ensaio objetiva convidar a leitoras e leitores a aprofundar o que pode significar “A venda da virgindade” de algumas mocas e até indígenas, que está ocupando vários espaços mediáticos nestes últimos tempos em nosso país. “Na cidade que possui a maior população indígena do país, meninas indígenas são exploradas sexualmente e chegam a trocar sua virgindade por doces, frutas e celulares.” (Folha de São Paulo 24/11/12)

A manchete propositalmente escandalística desafia e nos defronta com o corpo das mulheres, de como ele foi visto ao longo dos séculos. “O corpo feminino reina e padece em diversas épocas da história. Território há muito considerado de posse cultivo masculino, "vaso receptor", ora sagrado, ora laico, O corpo das mulheres foi várias vezes identificado por seus mistérios e forças.” (DE MATOS S. Izilda Maria e SOIHET, Rachel, (2003) “O corpo em debate”).

Esta noticia nos obriga a dar um passo a mais no aprofundamento sobre do que está por traz desta “venda”, que até em alguma ocasião como ver mais adiante tomou as dimensões de “leilão”. 

A hospitalidade para com os haitianos: quão humana é a nossa sociedade? - Leonardo Boff

O drama de centenas e centenas de haitianos, vítimas de devastador terremoto, que, via o Estado do Acre, buscam hospitalidade no Brasil, representa um teste de quanto humana é ou não é a nossa sociedade. Não queremos nos restringir somente aos haitinos, mas aos tantos que são expulsos de suas terras, posseiros, indígenas, quilombolas e outros, pelo avanço do agronegócio, das hidrelétricas ou desalojados como recentemente do prédio da OI no Rio de Janeiro e que tiveram que se refugiar na praça da Catedral da cidade. Organismos da ONU nos dão conta de que existem no mundo alguns milhões de refugiados por guerras, por problemas de fome ou climáticos e outras causas semelhantes. Quais Abraãos andam por ai buscando quem os acolha e terra para trabalhar e viver. E não encontram. E quantas naves são rejeitadas tendo que vagar pelos mares no meio de todo tipo de necessidades e desesperanças.

Quem são as centenas de jovens sequestradas na Nigéria?

Na noite do dia 14 de abril, homens armados - integrantes do grupo radical islâmico Boko Haram - invadiram um internato em Chibok, pequena cidade interiorana no Estado de Borno, no noroeste da Nigéria.

"Não se preocupem, não vai acontecer nada com vocês", os invasores disseram às jovens estudantes que encontraram. Depois de se apoderar de alimentos e outros produtos encontrados no local, os homens colocaram fogo no prédio e partiram, levando-as.

Duas semanas após o sequestro, quase nada se sabe sobre o destino das mais de 200 jovens, a maioria entre 16 e 18 anos, que se preparavam para fazer seus exames finais.

Cartilha da Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas


A Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas defende uma proposta visando a ampliação da participação popular nas instâncias de poder. Existe um grande número de problemas em nosso sistema eleitoral que necessita de mudanças. Todavia a Coalizão optou por elaborar um projeto voltado para as questões estruturantes, para uma Reforma Política Democrática que pudesse ser aprovada sem necessidade de emendas constitucionais.

A Coalizão autoriza a utilização e reprodução da cartilha, no entanto, informa que não é permitido seu uso para fins eleitorais.

A Coalizão tem um caráter suprapartidário e tem como objetivo impulsionar uma campanha “cívica, unificada e solidária” para efetivar a Reforma Política visando aprofundar o processo democrático brasileiro. Para isso pretende unificar amplas camadas do povo brasileiro no movimento semelhante as “diretas já”.

A Plenitude do Reino inclui a Luta por Justiça. A Luz e a Força Divinas estão em nós e em nosso meio (Mt 19 - 28) - frei Gilvander Moreira.

Eis, aqui, a Parte 1 do Artigo “A Plenitude do Reino inclui a Luta por Justiça. A Luz e a Força Divinas estão em nós e em nosso meio (Mt 19 - 28)”, de Gilvander L. Moreira, publicado no livroProsseguir o Caminho com as Comunidades judaico-cristãs, uma Leitura do Evangelho de Mateus feita pelo CEBI-MG, Marysa Mourão Saboya (Org.), São Leopoldo: Ed. Oikos; Minas Gerais: CEBI, 2014, p. 127-143.

1. Iniciando a reflexão.

Evangelho não é apenas boa notícia, é também péssima notícia. Evangelho é boa, melhor dizendo, ótima notícia para os empobrecidos, os oprimidos, os aprisionados e os cegados, mas para ser ótima notícia para esses, evangelho é também péssima notícia para os enriquecidos, os opressores, os aprisionadores e para quem fura os olhos dos outros. O evangelho de Jesus Cristo não exclui ninguém a priori, antecipadamente, mas convida todas as pessoas para aderirem ao projeto do Evangelho, que é um caminho de vida e liberdade para todos, com todos e a partir dos últimos.

É possível criticar o capitalismo?

Um tuíte do Papa Francisco semeou o pânico entre os teocon e, mais em geral, entre aqueles que entendem o capitalismo como a religião natural do homem moderno. "A desigualdade é a raiz dos males sociais": essa é a mensagem lançada no dia 28 de abril pela conta @Pontifex

Não se trata, na verdade, de uma novidade absoluta. A expressão é a síntese de uma frase mais complexa da Evangelii gaudium, a exortação apostólica que constitui até agora o "manifesto programático" de Francisco. O problema é que, apenas em italiano, o termo inequità atenua a força da condenação moral. Em inglês, inequality significa desigualdade. Em alemão,ungleichheit é traduzido como desigualdade. E assim também em espanhol, a língua do papa: a palavra inequidad não permite outra tradução que desigualdade. Em suma, não há mais uma desigualdade iníqua a condenar e uma mais mórbida a perseguir: a raiz do mal é a "economia do descarte" que torna os homens cada vez mais desiguais. 

Vitória vai participar de plano nacional de combate à mortalidade de jovens

O Plano Juventude Viva (PJV) no Espírito Santo, que reúne um conjunto de estratégias articuladas com vistas ao combate à mortalidade da juventude – em especial de jovens negros - na capital e em outros seis municípios do Estado, foi lançado nesta sexta-feira (2), às 10 horas, no Palácio Anchieta, no Centro.

O plano contempla uma série de ações de prevenção que visam reduzir a vulnerabilidade dos jovens a situações de violência - física e simbólica - a partir da criação de oportunidades de inclusão social e autonomia.
Para tal, são considerados a oferta de equipamentos, serviços públicos e espaços de convivência em territórios que concentram altos índices de homicídios. Além disso, ele prevê o enfrentamento ao racismo institucional, com a sensibilização de agentes públicos para o problema. Além da capital, o plano atenderá os municípios de Serra, Vila Velha, Cariacica, Guarapari, Linhares e São Mateus.