4ª edição da Marcha das Margaridas deve reunir 100 mil mulheres do campo em Brasília Quarta-feira, 27 de julho de 2011 - 19h02min

"Duas mil e onze razões para marchar para o desenvolvimento, sustentável com justiça, autonomia, igualdade e liberdade". Este será o lema 4ª edição da Marcha das Margaridas que acontecerá nos dias 16 e 17 de agosto em Brasília, região Centro-oeste do país. A Marcha reunirá cerca de 100 mil mulheres de diversas regiões do país na luta por melhores condições de vida e trabalho no campo e contra todas as formas de discriminação e violência.
Para Rosângela Ferreira, integrante da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará (Fetraece) e da organização estadual da Marcha, a atividade tem um grande significado para a garantia dos direitos das mulheres, principalmente daquelas das zonas rurais. "A Marcha é necessária para garantir a visibilidade. Por mais que o governo seja democrático, não existe governo bonzinho. O movimento precisa estar mobilizado ou então não consegue [visibilizar suas demandas]", afirma.
O evento acontece a cada quatro anos sempre no mês de agosto, para fazer a memória ao assassinato da líder sindical Margarida Alves morta com um tiro no rosto no dia 12 de agosto de 1983 no município de alagoa grande, Paraíba, região nordeste do país.
A atividade foi lançada nacionalmente em novembro de 2010, e desde então, os movimentos de mulheres vêm se organizando em vários pólos do país com o objetivo de se articular e preparar a pauta de reivindicação através de debates, palestras, estudos, planejamento e captação de recurso.
Essas mobilizações resultaram na elaboração de um caderno de texto que teve como base os eixos da plataforma política do movimento de mulheres. São elas: biodiversidade, terra, água e agroecologia, soberania e segurança alimentar, autonomia econômica, saúde pública e direitos reprodutivos, educação não sexista e democracia, poder e participação política. O caderno reuniu cerca de 158 propostas que foram entregues na semana passada (13), em ato político, no Palácio do Planalto em Brasília.
Rosângela aponta conquistas significativas nesses anos de caminhada. Uma delas foi a aposentadoria para trabalhadoras rurais aos 55 anos de idade; a emissão de documentação das mulheres que não conseguiam acesso às políticas públicas, como o Bolsa Família; a titularização na divisão da reforma agrária no nome das mulheres; criação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) Mulher, a visibilidade sobre os casos de violência e discriminação contra as mulheres, entre outras.
Ela ressalta, ainda, que as mulheres fizeram parte da construção da história do país, mas nunca apareceram de fato, e que a Marcha tem também essa finalidade: Despertar nas mulheres para que elas exijam seus direitos e sejam sujeitas de uma nova história e construtoras de uma sociedade igualitária.
Programação
As mulheres chegarão no dia 15 de agosto no Parque das Cidades, centro de Brasília. Dia 16, pela manhã, a abertura terá a exposição de dois painéis. Neste mesmo dia, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) fará uma pesquisa aplicada com as mulheres presentes na marcha sobre perfil econômico e condições de vida das mulheres trabalhadoras do campo e da floresta.
À noite, haverá o lançamento do CD "Canto das Margaridas", produzido por mulheres de todo pais, com a presença da cantora Margareth Menezes. No dia 17, as mulheres seguem em marcha do Parque das Cidades até a Esplanada dos Ministérios onde serão recebidas por ministros, autoridades, e pela presidenta Dilma Rousseff. Às 15h, Rousseff fará o anúncio da decisão das propostas encaminhadas na semana passada pela coordenação da Marcha.

CONVITE BÍBLICO


CURSO BÍBLICO: EVANGELHO DA COMUNIDADE DE MARCOS

Destinatários: O Curso é direcionado a todas as pessoas que querem conhecer um pouco mais do Evangelho segundo a Comunidade do Evangelista Marcos. De maneira especial o Curso servirá para ajudar pessoas que em suas Igrejas fazem reflexão do Evangelho nos Cultos Dominicais, participam de Escolas Dominicais ou Curso da Palavra.

Dia: QUINTAS FEIRAS
Hora: de 19 às 21hs
Período: 04 de agosto a 27 de outubro 2011
Local: Sala do CEBI-ES, em cima da LIVRARIA PAULUS, próximo à Escadaria Maria Ortiz, atrás da Praça Oito - Vitória

Dentro das Celebrações Litúrgicas o Evangelho da Comunidade de Marcos será proclamado em 2012, sempre aos domingos, durante os dias da semana e nos Círculos Bíblicos, para algumas Igrejas Cristãs, especialmente a Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR) e a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB).

Inscrições abertas até 04 de agosto -3223-0823/ 9945-2068 cebies@yahoo.com.br

Romaria dos Mártires da Caminhada: testemunhas do reino! - Zé Vicente

Sexta-feira, 22 de julho de 2011 - 8h44min

O sol do dia 16 de julho lançou seus últimos raios sobre a grande fogueira erguida no pátio da matriz da pequena cidade de Ribeirão Cascalheira - MT, entregando para a lua cheia, esplêndida no céu, o brilho a ser derramado sobre a 5ª Romaria dos Mártires da Caminhada Latino Americana, que reuniu cerca de sete a dez mil pessoas, sem contar os que olhavam das calçadas, admirados e atentos e muitos que, mesmo distantes, se uniram em espírito.

Todos vestidos com vestes de festa, vindos dos quatro cantos do Brasil e de vários outros países, estamos postos num grande círculo, movidos pela energia vibrante dos abraços, beijos e sorrisos, trocados na emoção de reencontrarmos velhas amizades e sentirmos o calor de novos aconchegos.

Entre nós e em nós, se manifesta a presença deles e delas, os mártires, testemunhas fiéis do Reino da Vida, cujo sangue foi derramado no colo da mãe terra, por mãos assassinas, quase sempre a mando de quem, na cegueira da ambição desenfreada, pela posse do dinheiro, dos bens de toda a terra e do poder, pagam pistoleiros violentos, para executarem quem atravessa seu caminho, denunciando seus intentos criminosos e anunciando com a verdade da própria vida, a solidariedade irrestrita com os injustiçados e oprimidos.

Nas camisetas e faixas, nos estandartes e cantos, nos corpos de seus parentes que estão conosco e nas palavras testemunhais dos pastores, especialmente do Poeta e Profeta, Pedro Casaldáliga, bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia, com seus mais de 80 anos, 40 dos quais vividos nessa região, uma das mais violentas do Brasil. Marcado, há vários anos pelo Parkinson, Pedro, fez ecoar ainda com vigor que a fé lhe confere, sua mensagem de teimosa e resistente esperança pascal.

Ao som dos tambores e mantras de diversas tradições místicas, entra no grande espaço, o cortejo de mulheres, portando vasilhas pintadas com motivos indígenas, levando águas e flores. Circulam e dançam em volta da fogueira. Em seguida chegam crianças, meninos e meninas do povo dali, trazendo belos estandartes, com fotos e nomes dos (as) mártires, para o centro da grande roda. A equipe de coordenação vai orientando. A saudação de acolhida, com um toque orante, veio do atual bispo da Prelazia, Dom Leonardo. Finalmente, entra a Cruz do P.e João, conduzida por jovens mulheres. Do Círio Pascal, sai o fogo, posto na fogueira e nas velas das pequenas lanternas, recebidas por cada pessoa presente. A praça, rapidamente, se transforma numa constelação de luz. Um casal de Araras passa sobre nós, num belo e sereno vôo, costurando uma linha livre e sutil, ligando a lua, a fogueira e o ultimo vestígio do sol, exatamente na direção por onde seguimos em Caminhada, entoando os cânticos conhecidos: "Sou, sou teu, Senhor, sou povo novo, retirante, lutador!", "Vidas pela vida, vidas pelo Reino", "Ribeirão Bonito, cruz do P.e João!"...

 Foram mais de três quilômetros até o pequeno Santuário dos Mártires, construído na margem esquerda da rodovia de quem sai de Cascalheira, logo após o pequeno rio, chamado Ribeirão Bonito. No trajeto alguns testemunhos, gritos de denuncia, das vitimas indígenas, jovens, mulheres, trabalhadores (as), cujos direitos sagrados estão sendo desrespeitados pelos atuais senhores do latifúndio, do agro-negócio, da droga, do sistema bancário. Passamos bem ao lado, da capelinha, onde o Padre João Bosco Penido Burnier, Missionário Jesuíta, viveu a sua última agonia, depois de ser alvejado à queima roupa, por um policial, no dia 12 de outubro de 1976. P.e João, acompanhava D. Pedro e foram pedir em favor de duas mulheres que estavam presas e eram torturadas injustamente. Ali, foi celebrada uma emocionante Vigília no dia anterior.

Ao chegarmos ao Santuário, mais alguns testemunhos. Um momento para a leitura Bíblica, a prece do Pai Nosso, a benção e partilha de um tipo de bolinho popular na região. Para encerrar a noitada festiva, nós, artistas presentes animamos o povo, com cantos e poesias. Pelas onze horas da noite, retornamos para as casas e escolas, onde fomos acolhidos, com carinho pelas famílias da cidade.

NA EUCARISTIA, O BRILHO DA GLÓRIA PASCAL!

A manhã do domingo, 17 de julho, estava luminosa pelo sol e a beleza de cores, no espaço, atrás do Santuário dos Mártires, preparado para a Missa de despedida da Romaria, concelebrada pelos bispos D. Leonardo, D. Eugênio, bispo da cidade de Goiás e pelo próprio D. Pedro e mais de 30 padres.

Toda celebração teve como foco principal a vitória pascal de Jesus e de todas as testemunhas da Ressurreição, desde os discípulos de Emaús (Lc 24,13), lembrando a multidão dos que lavaram suas vestes existenciais no sangue do Cordeiro (AP 7,9) e de quem, neste tempo presente, mantém a fidelidade a causa maior da vida!

Após a comunhão, ainda alguns testemunhos e denuncias, pela boca dos representantes indígenas; Cacique Marcos e sua mãe, do povo Xucuru, de Pernambuco, que fez uma bela prece aos Encantados, pela proteção da terra e dos seres vivos. Os Xavante, na sua dura luta pela retomada de sua terra tradicional Marãiwatsédé, no Mato Grosso, de onde foram deportados na década de 1960 e que retornaram em 2004 decididos a não abrir mão da terra sagrada, onde está sua memória e foram plantados os corpos de seus ancestrais.

Antes da benção e envio final, a mensagem emocionada de Pedro, temperada de carinho, profecia e convocação para a fidelidade no testemunho pascal: "multipliquem as romarias dos mártires da caminhada!... Esta, possivelmente será minha ultima Romaria com os pés nesta terra...!"

Com esta imagem inesquecível e ao som do hino: "Ribeirão Bonito, Cruz do Padre João, Alta Cascalheira, gente do sertão, o suor e o sangue, fecundando o chão!",romeiros e romeiras da Caminhada, nos despedimos, para as longas viagens de volta, com os corações unidos e aquecidos na fogueira da esperança para a missão urgente, assumida, sem reserva, até o fim, por tantas testemunhas do reinado pleno e eterno da Vida para todas as vidas: João, Chicão, Marçal, Zumbi, Conselheiro, Margarida, Zé Claudio, Maria, Dorothy, Nativo...

Fortaleza, 19 de julho de 2011

Em memória da experiência da Revolução Sandinista de Nicarágua, cujos 32 anos se comemora neste dia.

Zé Vicente - poeta-cantor





60 ANOS DE PRESENÇA LUTERANA EM VILA PAVÃO

60 anos de Presença Luterana em Vila Pavão/ES

Deixei-me motivar pelo lema bíblico dessa semana, do evangelho de Lucas, cap. 8, 15: “A semente que caiu na boa terra são os que, tendo ouvido de bom e reto coração, retém a palavra; estes frutificam com perseverança”. O v. foi extraído da parábola do semeador, do evangelho segundo Lucas.

A comunidade de Lucas utiliza experiências de agricultores/as para abordar aspectos essenciais da fé em Jesus Cristo.

A celebração de 60 anos de Presença Luterana, em Vila Pavão, é uma conseqüência do agir de Deus, em nossa história. Relembro de algumas facetas dessa caminhada de fé, que não foram fáceis, porém, lançaram grandes desafios à identidade evangélico-luterana. Os evangélicos de confissão luterana estão conscientes da responsabilidade que a comunidade de Jesus Cristo tem nos momentos difíceis da caminhada. Hoje estão celebrando 60 anos com uma profunda gratidão ao Deus, que optou em nunca abandonar seu povo. Essa presença de Deus vocês vivenciaram, agarrando e assumindo, sobretudo, propostas de seu agir, destacadas pela confissão evangélico-luterana. Menciono a justificação por graça; da liberdade cristã; o sacerdócio universal de todas as pessoas batizadas.

Na comunidade de Lucas brotou a necessidade de refletir e aprofundar aspectos da fé em Jesus Cristo. A fé, um dom de Deus, necessita ser exercitada para crescer e se desenvolver na vida das pessoas e na comunidade. A vivência da fé, portanto, requer um serviço. Este serviço é comparável ao trabalho do agricultor e da agricultora. As experiências que vocês fazem com o trabalho na terra, os membros da comunidade, também, fazem em sua vida de fé. Quero, apenas, destacar um procedimento muito comum entre os/as agricultores/as. É a espera paciente pela colheita. O decisivo no trabalho do/a agricultor/a é a colheita.

Os agricultores e as agricultoras, presentes nessa celebração, sabem que sua paciente espera pela colheita é muito ativa. Vocês lembram o que fazem entre o plantio e a colheita. Esta atividade é decisiva para uma boa colheita.

Sublinhei antes que a fé necessita de serviços e exercícios para que permaneça viva e produza frutos para a missão de Deus, em nossa realidade. Essa é uma conseqüência da justificação por graça. Este agir de Deus impulsiona-nos a fazer tudo para que a fé produza frutos. Estes frutos surgirão se a vivência da fé abranger todas as ramificações do nosso quotidiano.

A vida comunitária dessa comunidade tem como característica a paciência, a espera ativa. Assumiu-se a missão de Deus no cotidiano da vida.

Não esqueçamos, portanto, que a fé precisa do serviço de despertamento e fortalecimento. Pois, a colheita, que a fé produz, Deus deseja investir e aproveitar para seu projeto de vida entre nós.

Portanto, a fé dos evangélicos de confissão luterana não conhece o estocamento de sua produção para assegurar futuras garantias. Toda a colheita da fé é distribuída, partilhada. Ela reverte em benefício da obra de Deus entre nós. A sua meta é o crescimento do Reino de Deus em nossa realidade.

Acelerar e multiplicar essa prática da fé nas comunidades é uma tarefa que requer uma paciência que se agarra na certeza de que a fé não deixará de produzir frutos. Deus é sua fonte alimentadora. Na comunidade de Lucas destaca-se que o solo precisa ser trabalhado. O solo da fé é a nossa vida, que precisamos trabalhar para que a força da fé saia de nós e se transforme em ações que Deus possa aproveitar para fazer crescer seu Reino nas comunidades e, por conseqüência, também na sociedade.

Roguemos a Deus, o motivador e impulsionador da vivência da fé em Jesus Cristo, que continuem acelerando e aprofundando o serviço que a fé necessita, partindo das diferentes realidades em que pessoas e comunidades se encontram. Assim podemos ter a firme convicção de que o trabalho comunitário se transformará, cada vez mais, numa colheita abundante, uma conseqüência da fé em Jesus Cristo.

Roguemos a Deus que fortaleça, em vocês, aquela espera ativa que os/as agricultores/as têm enquanto esperam pela colheita.

Glória a Deus pelos 60 anos da Presença Luterana, em Vila Pavão.

Vila Velha, 28 de junho de 2011

P. Norberto Berger

CÍRCULOS BÍBLICOS NA ÁREA PASTORAL DE VITÓRIA


No dia 30 de julho de 2011, a Área Pastoral de Vitória e o Departamento de Pastoral da Arquidiocese de Vitória (ICAR) promovem, a partir das 08hs, na Casa de Maria - Centro de Vitória - ao lado do Colégio do Carmo, um Encontro de Formação para grupos e pessoas que participam dos Círculos Bíblicos das paróquias dessa Área. 
A Assessoria do encontro ficará a cargo do Centro de Estudos Bíblicos - CEBI-ES, que é a Equipe responsável pela elaboração dos Círculos Bíblicos da Arquidiocese de Vitória e acontecerá dentro do método VER, JULGAR e AGIR.
    Podem participar pessoas que participam das paróquias que compõe a Área Pastoral de Vitória, que deverá procurar a sua Secretaria Paroquial ou o Coordenador dá Área, Pe. Márcio Ferreira de Souza para verificar as informações necessárias e o número de pessoas que poderá representar os diversos grupos de Círculos Bíblicos.
    O encontro que aconteceria em abril, foi transferido para julho por causa de um choque de datas com o encontro do Pastoralista Pe. Agenor Bringenthi, promovido pela Área Pastoral de Vitória.
Esse encontro está acontecendo em todas as Áreas Pastorais da Arquidiocese de Vitória e vem sendo preparado pela Equipe do CEBI-ES, a partir de um questionário enviado às paróquias a respeito da realidade da vida da Comunidade e dos grupos de Círculos Bíblicos.

EVANGELHO DA COMUNIDADE DE MARCOS - ESTUDO BÍBLICO

O CEBI-ES ESTARÁ PROMOVENDO NO SEGUNDO SEMESTRE UM CURSO SOBRE O EVANGELHO DA COMUNIDADE DE MARCOS. DENTRO DAS CELEBRAÇÕES DA LITURGIA ESTE SERÁ O EVANGELHO PROCLAMADO EM 2012 SEMPRE AOS DOMINGOS E DURANTE A SEMANA  NOS CÍRCULOS BÍBLICOS, PARA ALGUMAS IGREJAS CRISTÃS, ESPECIALMENTE A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA (ICAR) E A IGREJA EVANGÉLICA DE CONFISSÃO LUTERANA NO BRASIL (IECLB).

O CURSO SE DESTINA A PESSOAS QUE QUEREM CONHECER UM POUCO MAIS DO EVANGELHO SEGUNDO ESSA COMUNIDADE. DE MANEIRA ESPECIAL O CURSO SERVIRÁ PARA PESSOAS QUE EM SUAS COMUNIDADES PARTICIPAM DE ESCOLA DOMINICAL OU CURSO DA PALAVRA, OU MESMO FAZEM REFLEXÃO DO EVANGELHO NOS CULTOS DOMINICAIS.
O INICIO ACONTECE NA PRIMEIRA SEMANA DE AGOSTO E TERÁ DURAÇÃO DE 03 MESES, SEMPRE ÀS QUINTAS FEIRAS, DE 19 ÀS 21HS NA SALA DO CEBI-ES, EM CIMA DA LIVRARIA PAULUS, PRÓXIMO À ESCADARIA MARIA ORTIZ, ATRÁS DA PRAÇA OITO.

MAIORES INFORMAÇÕES ENTRE EM CONTATO COM O CEBI-ES PELO TELEFONE (27)3223-0823, DE 09 ÁS 12HS E DE 14 ÀS 19HS.

FORMAÇÃO PARA GRUPOS DE CÍRCULOS BÍBLICOS DA ÁREA PASTORAL CARIACICA-VIANA

Acontece dia 16 de julho de 2011, a partir das 14hs na Com. Matriz de Itacibá - Paróquia da Virgem Maria, mais um Encontro de Formação para Círculos Bíblicos na Arquidiocese de Vitória - Igreja Católica Apostólica Romana.
    O Encontro de Formação é uma promoção do Departamento de Pastoral da Arquidiocese de Vitória e do Conselho Pastoral da Área Cariacica/Viana (ICAR).
    A Assessoria do encontro ficará a cargo do Centro de Estudos Bíblicos - CEBI-ES, que é a Equipe responsável pela elaboração dos Círculos Bíblicos da Arquidiocese de Vitória e acontecerá dentro do método VER, JULGAR e AGIR.
    Cada uma das 15 paróquias que compõe a Área Pastoral Cariacica-Viana deverá enviar 10 pessoas representando os diversos grupos de Círculos Bíblicos.
    O encontro vem sendo preparado com carinho pela Equipe do CEBI-ES, a partir de um questionário enviado às paróquias a respeito da realidade da vida da Comunidade e dos grupos de Círculos Bíblicos. Esse questionário teve o seu prazo de entrega até o dia 18 de junho, no Conselho Pastoral da Area Cariacica/Viana.