Mensagem de Natal do CEBI

Brincar de roda e dançar ciranda
– sinais da presença de Deus!

Para poder brincar de roda, é preciso acreditar no sonho de uma criança, que vem ao nosso encontro como Deus-gente.

Para poder brincar de roda, é preciso acreditar no sabor amargo e doce da vida, que é paixão e luta, encontro e desencontro, conquista e horizonte.

Nas rodas e cirandas da vida, na vida que faz rodas, nas cirandas do povo, Deus vem ao nosso encontro e nos convida a dançar e cirandar cantorias que animem a luta.

Brincar e cirandar são posturas metodológicas: inclusivas, ecumênicas, ecológicas que nos levam ao encontro dos movimentos sociais, dos grupos mais empobrecidos e violentados em seus direitos, para que ali, em rodas e círculos, partilhemos a vida e aprendamos a sonhar de novo!

Deus-criança vem nos visitar nestes tempos de Natal e nos convida a relembrar as nossas brincadeiras de roda e as nossas cirandas, como opções metodológicas de vida justa que se abrem e se movimentam como testemunho de acolhida e de inclusão.

Em meio a luzes e sombras, caminhamos para que os sinais da presença de Deus sejam visíveis em nosso mundo marcado pela violência, exclusão e injustiça. As pequenas rodas e cirandas nos trazem à memória que outros movimentos são possíveis, que outras formas de se organizar e de se relacionar são capazes de animar e curar os corações desesperançados.

Advento e Natal são momentos oportunos – kairós – para recordar – trazer ao coração – a presença de Deus, que é luz, vento e movimento.

Que nossas vidas se encham de espera ativa, de cantos de ciranda e passos de roda que nos levem a compromissos e testemunhos pela justiça, paz e relações recriadas. Que nossos pés caminhem ao encontro de irmãs e irmãos excluídos, que nossos braços e nossas mãos se estendam ao aconchego e à acolhida. Que nossos corpos se inclinem em solidariedade e compromisso com a vida digna. Que nossas relações testemunhem a cura e a paz! Deus-criança, que teu Espírito dê alento e nos anime para firmar nossos passos em cirandas e rodas de paz e amor!

Um Natal cheio de Paz e Luz!
Um 2007 com muito ânimo e vontade de cirandar e brincar de roda!
Em nome de toda a equipe do CEBI,

Elaine Gleci Neuenfeldt
Diretora do CEBI-Nacional

Comunidades de Cariacica celebram o 17º Ano de Martírio de Pe. Gabriel


As comunidades da Paróquia Católica de Jesus Libertador em Cariacica-ES celebram no próximo dia 23 o Martírio de Pe. Gabriel.

Padre Gabriel Félix Roger Maire, missionário e profeta francês, entrou para a história no mundo no dia 01/08/1936 e entrou para a galeria dos mártires no dia 23/12/1989, entre o município de Cariacica e Vila Velha-ES.

Na Arquidiocese de Vitória trabalhou por nove anos, sem­pre gastando sua vida a favor dos pobres deste Estado. Junto com os Grupos de Mulheres, a Pastoral Operária, o Grupo "Fé e Política", a Juventude Operária Ca­tólica, a Pastoral da Juventude, e muitas outras pastorais e lutas populares, como o movimento "PAZ E DEMOCRACIA EM CARIACICA, respeitem o voto do povo", Gabriel sempre esteve presente. Sua vida, seu serviço, seu sacerdócio, seu trabalho com as Comunidades Eclesiais de Base, e seu sangue, testemunha o seu amor a Deus na pessoa dos mais pobres. Eis uma de suas frases que marca este testemunho:
"PREFIRO MORRER PELA VIDA DO QUE VIVER PELA MORTE!”

O CEBI-ES em sintonia com a luta de Pe. Gabriel e das comunidades convida você para este momento celebrativo.

Dia: 23/12/06
Hora: 19:30h
Local: Comunidade Bela Vista - Paróquia Católica Jesus Libertador (ponto final da Linha 734 Dom Bosco - Castelo Branco)

Leonardo Boff fala das virtudes para um mundo melhor no 1º Fórum Espiritual Mundial

Aplaudido demoradamente de pé, o teólogo Leonardo Boff ensinou para mais de duas mil pessoas, na noite de ontem (07/12), cinco virtudes necessárias para a construção de um mundo melhor. A palestra aconteceu no 1º Fórum Espiritual Mundial, que está sendo realizado até o próximo domingo, em Brasília, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

Depois de apresentar um vídeo da Carta da Terra, documento que, segundo o teólogo, será enviado brevemente à ONU para integrar a Declaração Mundial dos Direitos Humanos, Leonardo Boff iniciou a palestra convocando todos a uma séria reflexão: “Ou formamos uma aliança global para cuidarmos da terra e uns dos outros ou estaremos colocando nossa existência sob ameaça”.


Jesus, a Samaritana e o Preconceito

O capítulo 4 do Evangelho segundo João nos narra o encontro de Jesus com a Samaritana. O encontro de Jesus com a Samaritana a beira do poço. A conversa num primeiro momento pode nos parecer tranqüila. Mas se olharmos bem para o conteúdo da conversa, vemos que ela não é tão tranqüila assim. Jesus pede água para beber a uma mulher samaritana e esta se recusa: “Como é que tu, sendo judeu, pedes de beber a mim, que sou samaritana”. Afinal “os judeus não se dão bem com os samaritanos” (Jo 4,9).

Por terem existido dois reinos em Israel, as rivalidades já existiam. Com a destruição do reino do Norte, grupos de sobreviventes se uniram a grupos de outros povos. Passaram a morar nos arredores das cidades de Siquém e Samaria e a partir daí foram chamados de samaritanos. Após o exílio, as rivalidades entre judeus e samaritanos aumentaram. Mas os judeus, principalmente as elites, sempre apoiaram as dominações de outros impérios. Por isso impuseram sua forma de ser, seu culto e sua organização na Palestina. Mas os samaritanos tinham o seu culto e suas tradições. Não reconheciam nem o culto, nem a sociedade de Jerusalém. Por isso eram menosprezados pelos judeus.

E entre os judeus o preconceito, de fato, era grande. Para estes, samaritano nem povo é. Isso podemos ver bem no livro de Eclesiástico: “Há duas nações que detesto, e uma que nem sequer é nação: os habitantes da montanha de Seir, os filisteus e o povo idiota que habita em Siquém (Eclo 50,25-26). E Chega a tal ponto que se alguém tocasse em um judeu ficaria impuro.

E hoje não é diferente. Normalmente o preconceito é causado por ignorar o conhecimento do outro que é diferente. O preconceito leva à discriminação, à marginalização e à violência.

Diante da nossa situação, o grande desafio é o diálogo. É preciso conhecer a cultura do outro, enfrentar e superar barreiras que impede a verdadeira convivência, sem esquecer ou sufocar diferenças. Assim construiremos uma sociedade onde caibam todos sem exclusão.

Novas Publicações no Blog do CEBI-ES

Olá amigos e amigas do CEBI-ES!

Estaremos fazendo novas publicações a partir desta semana, com reflexões, indicações de leitura e sobre as atividades para o ano de 2007.

Comentem, divulguem, participem!

Um abraço,

Rômulo Luiz

Junto ao Trono do Cordeiro estão nossos Mártires

Na linguagem franciscana fomos muito visitados pela irmã morte nos últimos dias.

Luciano e Mário celebrando a Páscoa depois de longa e generosa caminhada a serviço do Reino. No meio das dores da enfermidade consumaram sua entrega ao Reino, unidos ao Cristo imolado e ressuscitado. Seu testemunho e sua memória permanecem no coração da Igreja como exemplo de fidelidade e de profunda caridade pastoral.

José Mauro e Franco, raptados em carro de fogo, enquanto combatiam o bom combate em defesa da dignidade humana especialmente dos povos indígenas e dos quilombolas.
Duas vezes choram os descendentes do povo afro em seus redutos de esperança, primeiro em Junho quando seu bispo José Mauro foi transferido de Janaúba, não se sabe por quais critérios, e na última semana quando esmagado em seu caminho a serviço da evangelização da juventude.

Choram os povos indígenas com a morte prematura e trágica do Franco, um missionário consciente das dificuldades e desafios da inculturação para a evangelização.
Bendito CIMI que no início perturbou nossos missionários!
Bendito CIMI que ao longo das últimas décadas perturba os interesses dos adoradores do Bezerro de Ouro, cuja ganância não conhece limites. Devastam as fontes da vida e exterminam povos inteiros.

Junto ao Trono do Cordeiro sejam nossos mártires constantes intercessores em favor da Vida em nosso Planeta.
Roguem para que os povos do mundo possam caminhar com dignidade e esperança, livres da miséria, da exclusão e da fome.

Também não entendo muito a linguagem de Deus, mas sou testemunha de que transforma a desgraça em Graça. Assim, em minha desgraça, Deus se revelou Sábio, Amoroso e Misericordioso! Ele enxugará nosso pranto e nos libertará de todas as dores e da morte.

Paz e Bem!

D.Mauro Morelli
Bispo Católico Romano e Peregrino a serviço da Vida
(Texto publicado no site do CEBI)

É Festa no CEBI-ES


"Ô Tim dô lelê!
Ô Tim dô lalá!
São os 20 anos,
Vamos celebrar!"

Foi comemorado ontem na quadra da Escola Ludovico Pavoni em Santo Antônio em Vitória os 20 anos de caminhada do CEBI-ES. Foi um dia inteiro de festa. O dia começou com uma celebração marcante que resgatou a história do CEBI-ES, seguida do momento da Palavra e renovação do compromisso com a leitura popular e com a libertação de nosso povo.

Após almoço, aconteceu a apresentação do grupo de dança e música Cia. Cumby e da cantora Raquel Passos, além de brincadeiras, sorteio de prêmios e bingo.

Participaram desta festa pessoas vindas dos municípios da Grande Vitória, em especial pessoas vindas das comunidades de Amarelos (interior de Guarapari) que mesmo com as dificuldades devido à distância se fizeram presentes.

O dia encerrou com dança, parabéns e partilha do bolo pelos 20 anos.

Queremos agradecer todas e todos que contribuiram para que esta festa acontecesse, apesar das dificuldades. Muito obrigado!

Nas próximas postagens estaremos falando um pouco mais sobre esta festa.

Acontece Curso de Visão Global da Bíblia na Paróquia Santa Rita em Vitória

O curso de Visão Global da Bíblia aconteceu no bairro Itararé em Vitória e contou com a participação de 60 pessoas das comunidades do Setor "A" da Paróquia Santa Rita. O curso foi assessorado por Francisca e Rômulo. Este encontro foi a 1a. etapa que abordou o Antigo Testamento.

O Curso de Visão Global da Bíblia quer despertar os participantes para a leitura popular da Bíblia, ligando com nossas realidades hoje.

Programa "A Palavra na Vida" aborda o tema da Alfabetização no próximo Domingo

No próximo domingo o programa "A Palavra na Vida" abordará o tema da alfabetização de adultos. São muitos os projetos que se empenham na alfabetização de pessoas que não sabem nem ler ou escrever. Mas esta realidade tem uma história.

O êxodo rural da década de 60 devido a erradição do café, fez com que muitas famílias deixassem o interior e viessem em busca de trabalho na cidade. Ao chegarem não foi dado pelos governos a devida oportunidade de estudo, mas como mão de obra "farta e barata" foram responsáveis pelas obras públicas que modernizaram a Grande Vitória. Este êxodo rural fez com que estas pessoas passassem a morar nas periferias da capital e arredores. Sem escola, mal remunerados e sem estrutura básica de vida nas periferias, a educação sempre é deixada em segundo plano.
O resultado é que metade dos eleitores do estado do Espírito Santo que vão eleger seus representantes este ano são analfabetos.

A alfabetização não quer somente ensinar aos adultos a formar palavras e frases, mas também a despertar consciência dos seus direitos.

O programa vai ao ar pela rádio América AM 690kHz no próximo domingo a partir das 10h da manhã após a missa do convento. Ligue para 3223-6402, participe, dê sua opinião e concorra a prêmios.

E-mail do CEBI-ES

Para entrar em contato com o CEBI-ES por e-mail, utilize este endereço:


Pedidos de assessoria para encontros de estudo bíblico em sua Paróquia ou Igreja podem ser feitos por este e-mail ou por telefone: 3223-0869 ou 8139-4638.

CEBI-ES comemora 20 Anos

"Quero entoar um canto novo de alegria,
Ao raiar daquele dia de chegada em nosso chão.
Com meu povo celebrar a alvorada,
Minha gente libertada. Lutar não foi em vão!"


Temos o prazer de convidar você para celebrar os 20 anos do CEBI Espírito Santo.

A comemoração será no dia 24 de setembro na Escola Ludovico Pavoni no bairro Santo Antônio em Vitória (ponto de referencia é o Santuário de Santo Antônio) a partir das 9h da manhã com café e momento celebrativo. A tarde programação cultural com apresentação do grupo de música e dança Cia. Cumby , da cantora Raquel Passos entre outras atrações.

Traga algo para partilhar no almoço. Organize seu grupo ou sua comunidade e participe desta festa!

Para maiores informações, ligue para 3223-0823 às terças, quartas e quintas-feiras a tarde e fale com Genilza.

Programa "A Palavra na Vida" coloca em discussão o tema do Machismo

No próximo domingo, pela rádio América AM 690kHz, o programa "A Palavra na Vida" abordará o tema do machismo. Na família, na sociedade, no mundo do trabalho, na política, nas igrejas, enfim, em todos os lugares o machismo se impõe, impedindo e limitando a participação mais efetiva das mulheres na sociedade, pincipalmente nas instâncias de decisão. Convidamos você para participar desta discussão! Ligue, dê sua opinião pelo telefone 3223-6402 e participe do sorteio. O programa vai ao ar aos domingos a partir das 10h da manhã, após a transmissão da missa do convento.

Programa "A Palavra na Vida" deste domingo abordou o tema da Paternidade

O Programa "A Palavra na Vida" abordou neste domingo o tema da Paternidade. Fazendo uma reflexão sobre a sociedade nos anos 60, o Pai tinha que ser o provedor da família e esta carga imposta pela sociedade refletia em sua forma rigorosa de ser sem demonstrar carinho para com os filhos e a esposa.

Entre as participações, o ouvinte Valézio do município de Vila Velha, destacou da dificuldade em ser pai hoje, mas que não é possível mais ter as mesmas posturas da figura parterna como antigamente. Outra ouvinte, a Bernadete de Vilha Velha, destaca também a situação de pais e filhos envolvidos com o tráfico de drogas e grandes crimes e questiona assim a sociedade que também vai formando pais e filhos para a injustiça e o crime.

Pelo texto Evangelho segundo Lucas capítulo 15, versículos de 11 a 32, a parábola do filho pródigo, a Palavra de Deus convida para uma mudança de nossas práticas no dia-a-dia e viver a partenidade como mais ternura e fraternidade. Este foi portanto o compromisso com a vida deste domingo.

Este programa foi apresentado por Fatinha, Izalete, Paulo da equipe do CEBI-ES. Parabéns a todos os Pais!

A Libertação na História do Povo da Bíblia

O tema da libertação é um dos mais importantes na caminhada do povo da Bíblia. A busca pela liberdade foi uma das grandes motivações para a formação do povo de Israel. Alguns grupos de hebreus se refugiaram nas montanhas fugindo da opressão dos reis de Canaã. Outros fogem das terras do Egito por causa da dura escravidão egípcia. Pastores buscam lugares com melhores condições de vida, mas fogem dos camponeses e das cidades cananéias. E quando a libertação parece finalmente adquirida na vivência tribal, vem a monarquia e se impõe.

O Reino do Norte guarda em suas tradições, principalmente proféticas, a experiência do Êxodo, como busca da liberdade.

A experiência do Reino do Sul ficou marcada pela espera da vinda do Messias, o ungido de Deus que vem para trazer para sempre a libertação e a independência social e política. Esta esperança se torna mais forte após o Exílio da Babilônia, quando o povo está sob o domínio dos grandes impérios. É neste momento que muitos textos bíblicos são relidos ressaltando o tema do Messias e do Êxodo. Também muitos textos vão ser escritos sob esta inspiração, inclusive os salmos.

A libertação é também para nós hoje um grande anseio. Desde a libertação pessoal até a comunitária. Motiva a luta de diversos grupos sociais, diante da opressão dos grandes impérios capitalistas. Quais são hoje as nossas maiores buscas que guiam o nosso dia-a-dia? Que pessoas ou grupos lutam hoje por uma verdadeira libertação para a vida de todos?

O Livro dos Salmos

O Livro dos Salmos são um conjunto de cento e cinqüenta orações. Salmo que quer dizer oração cantada e acompanhada de instrumentos musicais. O livro recolhe uma coleção de orações do povo de Israel que sugiram durante um período de mais ou menos seiscentos anos.

A divisão dos salmos é um pouco diferente nas duas principais versões da Bíblia. Olhando os números dos Salmos encontramos uma diferença de numeração a partir do salmo 10 até o 148. A Bíblia Hebraica divide o Salmo 9 e o Salmo 114. As bíblias Grega e Latina concentram em um só os Salmos 9 e 10 e a partir daí ficam com um número atrasado até o salmo 114 quando vão ficar dois números atrás. O reencontro começa com a subdivisão dos Salmos 116 e 147. Assim voltamos a ter a mesma numeração de 148 a 150.

As primeiras comunidades cristãs utilizaram muito esse livro de oração, reinterpretando-as à luz da vida, atividade, morte e ressurreição de Jesus Cristo. Por isso, o livro dos salmos é um dos mais citados no Novo Testamento. Os salmos, assim, penetram profundamente na vida cristã e, através dos séculos, chegaram até nós. Hoje continuam sendo a oração por excelência de todo o povo de Deus, espalhado pelo mundo inteiro. Os salmos são poesia. Por quê? Porque é através da poesia que as pessoas conseguem manifestar em profundidade seus sentimentos (alegrias, tristezas, esperanças, desanimo, clamor etc...) Desse modo, experiências de uma pessoa ou de um povo se tornam manifestação de experiências da comunidade, de outros povos e até mesmo de toda a humanidade.

Retornando as postagens do Blog

Olá amigos e amigas do CEBI-ES!

Estamos retornando as postagens do blog. Além da divulgação dos programas de rádio e das atividades do CEBI-ES estaremos postando textos com comentários bíblicos, criando assim mais um espaço de formação. Agradecemos a compreensão e até a próxima publicação.

Acontece encontro de Assessoras e Assessores do CEBI-ES

Neste domingo aconteceu o seminário de assessoras e assessores do CEBI-ES com o tema Metodologia e Leitura Popular. Foi o momento da assessoria rever sua prática e desafios para que os grupos possam fazer uma leitura da Bíblia comprometida com uma ação libertadora. Os participantes avaliaram o encontro de forma positiva e levantaram a necessidade de mais encontros para troca de experiências, como forma de se "abastecer" para continuar o caminho.

Lideranças do CONIC participam do programa "A Palavra na Vida" deste domingo

O programa "A Palavra na Vida" deste domingo teve a presença de Pe. Humberto da Paróquia Beato José de Anchieta e articulador da dimensão ecumênica na Arquidiocese de Vitória, e do Pr. Derwal da Igreja Presbiteriana Unida (IPU), pastor auxiliar da Igreja de Maruípe. Ambos são membros e articuladores do CONIC - Conselho Nacional de Igrejas Cristãs. O programa enfocou a importância da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos e Cristãs para que o Ecumenismo aconteça.

Este programa contou com a produção, locução e apoio de Fatinha, Izalete, Paulo e Lúcia.

Programa "A Palavra na Vida" deste domingo continua refletindo sobre o Ecumenismo

O Programa "A Palavra na Vida" deste domingo continua a reflexão sobre o Ecumenismo, em sintonia com a Semana de Oração Pela Unidade dos Cristãos. O Programa contará com a Presença de um pastor metodista e um padre católico que abordarão sobre a realidade e a importância da caminhada ecumênica nos dias de hoje. O ouvinte pode participar fazendo perguntas e concorrendo a prêmios.

O Programa vai ao ar a partir das 10h (dez horas) da manhã transmitido pela rádio América AM 690kHz.

O Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil - CONIC

O Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC) foi fundado em 1982 como uma Associação fraterna de igrejas que confessam o Senhor Jesus Cristo como Deus e Salvador. Unidas pelo amor de Deus, pela confissão de fé comum e pelo compromisso com a missão, as Igrejas-Membro sentem-se chamadas a um testemunho comum do Evangelho e ao exercício do amor e do serviço, especialmente aos mais necessitados.

O surgimento do CONIC foi precedido de uma aproximação gradativa entre algumas igrejas cristãs. A criação do CONIC deu a esta aproximação inicial um caráter oficial e um instrumento de continuidade. As Igrejas fundadoras são: Igreja Cristã Reformada do Brasil, Igreja Católica Apostólica Romana, Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e Igreja Metodista.

O CONIC tem os seguintes objetivos:
- Colocar-se, sob a ação do Espírito Santo, a serviço e em testemunho da unidade da Igreja;
- Estudar e refletir sobre questões teológicas e outras que se constituam relevantes para a unidade e a missão da Igreja, nomeadamente os resultados dos diálogos interconfessionais; Propiciar reflexão e tomada de posição comuns perante a realidade brasileira, confrontando-a com o Evangelho e as exigências do Reino de Deus;
- Empenhar-se na promoção da dignidade, dos direitos e deveres da pessoa humana, criada à imagem de Deus, em busca e a serviço do amor, da justiça e da paz;
- Desenvolver linhas comuns de ação;
- Favorecer o relacionamento com entidades congêneres, nacionais e internacionais;
- Atender a outros objetivos que correspondam a sua natureza, a critério da Assembléia.

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

Com este tema o programa “A Palavra na Vida" levou ao ar neste domingo, 26 de maio de 2006 uma reflexão sobre o a semana de oração pela unidade dos Cristãos, o entrevistado foi o Pastor Nobertor Berger, (IECLB) da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, onde ele ressalta a importância de fazer e praticar o ecumenismo entre todos, que não fique só nesta semana que inicia hoje e vai até o Domingo de Pentecostes, mais deve ser uma busca constante. Lembrou das Igrejas que participam do CONIC, dos trabalhos realizados aqui no estado, e relembra que temos muito a fazer para que cheguemos a realizar um ecumenismo como nos pede o Evangelho. A propósito, este é o tema da Semana de oração pelos Cristãos: “Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, Eu estarei no meio deles”. (Mt 18,18-20)

No quadro "Iluminando a Vida" foi refletido o texto de Mt 18,18-20, “Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, Eu estarei no meio deles”. Fatinha fez uma reflexão que nos convida, como seguidoras e seguidores de Jesus, a continuar o seu ministério, pois estamos aqui e em tantos lugares em busca da vida em plenitude. Que possamos nos unir como irmãos e irmãs nas várias denominações religiosas, onde todos lutem em defesa da vida.

O programa "A Palavra na Vida" deste domingo contou com a produção, apresentação e apoio de: Fatinha, Izalete e Lúcia.

Não teremos o "Programa Palavra na Vida" neste domingo

Em virtude da transmissão de uma celebração que será feita pela Rádio América, nós não teremos o programa Palavra na Vida neste domingo que volta no dia 28 no mesmo horário. O tema será a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos.

A Maternidade e o Povo Negro: A Mãe Negra

Com este tema o programa "A Palavra na Vida" levou ao ar neste domingo uma reflexão sobre a maternidade e o povo negro tendo em vista a realidade das mães negras.

A entrevistada deste domingo foi Rosa do CDDH e do movimento negro. Rosa levantou desafios da mulheres e mães negras. Após 118 anos de abolição da escravatura, a lei áurea não libetou os negros do preconceito e da falta de espaço na sociedade por causa de um racismo presente de forma sutil. Sua reflexão denuncia a cultura do "branqueamento" promovida pelos meios de comunicação (as mulheres que são apresentadas símbolo de beleza são todas brancas), negando a raça e a cultura do negro (negro aparece na televisão como empregada, babá, escravo, porteiro,..., sendo ridicularizados por seu tipo de cabelo e por sua cor). Rosa ressaltou a importância de se trabalhar com os jovens a consciência e os valores da negritude, resgatando a beleza e a cultura negra.

No quadro "Iluminando a Vida" foi refletido o texto Gn 21,9-19 ( a história da escrava egípcia Agar). Rosa falou da realidade das mães no povo de Israel. O papel da mulher era de gerar filhos e esta era a condição para ser tida como abençoada. Porém eram os homens (o marido ou o patriarca da família) que decidiam o destino da vida dos filhos.

Penha Dalva falou sobre a mensagem do texto: Deus é que dá força e luz para gerar e defender a vida. Na experiência que vivemos de muita violência é Deus que nos dá a certeza e a tranquilidade para que não se perca a essência da vida nem a força e a presença de Deus que conduz a história. É preciso fazer valer o grande apelo de Jo 10,1-10: " Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância. O segredo da maternidade está no compromisso de gerar e lutar pela vida. E Deus estará sempre ao nosso lado.
O programa "A Palavra na Vida" deste domingo contou com a produção, apresentação e apoio de: Fatinha, Rosa, Izalete, Penha Dalva e Lúcia.



Vem aí o Programa "A Palavra na Vida" e o tema da Comunicação

O Programa "A Palavra na Vida" deste domingo fará uma reflexão sobre os meios de comunicação. Diante da realidade em que vivemos uma sociedade em crise, os meios de comunicação são marcados pelas especulações, informações destorcidas, programas nada construtivos, onde a audiência "é a medida de todas as coisas". Qual deve ser o verdadeiro papel da mídia e dos meios de comunicação? A entrevistada deste domingo será Vanda Simas, radialista da Rádio América. Aqueles que quiserem podem participar respondendo a pergunta do dia e concorrendo a prêmios.

Curso sobre Pentateuco termina em clima de festa

Chegou ao final na última quinta-feira o curso sobre o Pentateuco. Neste útlimo encontro foi trabalhado o bloco final do livro do Êxodo: o Código da Aliança, capítulos 19 a 24. O ponto alto deste bloco é o decálogo ou os Dez Mandamentos como conhecemos. O encontro foi realizado em clima de festa pelo aniversário de Fatinha, assessora do encontro.

Este é um dos quatro cursos que serão promovidos na sala do CEBI-ES a respeito dos blocos da Bíblia Hebraica (Pentateuco ou Torah, Profetas ou Neviim e Escritos ou Ketuvim). O último bloco será sobre os livros deuterocanônicos presentes na versão grega da Bíblia (septuaginta).

O próximo estudo será portanto sobre os Profetas. As incrições estão abertas! Participe!


Liturgia na Bíblia

Este foi o tema deste mês do grupo de estudo bíblico da Paróquia Divino Espírito Santo no município de Santa Leopoldina-ES. A partir da partilha das experências celebrativas (na comunidade, no trabalho, nas casas) e sua importância, o grupo foi refletindo sua realidade e dificuldades.
Com os elementos levantados pelo grupo, foi aprofundado os textos do Livro de Eclesiástico cap. 50, vers. de 1 até 21 que retrata a liturgia do templo e o livro de Judite cap. 15, vers. 8 até o cap. 16, vers. 20.
O grupo percebeu como a celebração a partir da casa é motivada pelas lutas e vitórias do povo com a participação de todos, enquanto a liturgia do templo tende a ser ritualista, com a participação de alguns e manifestar o poder dos que controlam a cidade de Jerusalém. Houve bastante envolvimento e participação de todos no encontro.
No próximo encontro que acontece no dia 27-05, o grupo continua esta reflexão sobre a liturgia na Bíblia.





Cacique Tupinikim será entrevistado no Programa Por trás da Palavra deste Domingo


O Cacique Vilson será o entrevistado no Programa por trás da Palavra deste domingo na rádio América AM 690kHz. Ele é da Aldeia dos indíos Tupinikim de Caieiras Velha em Aracruz. Falará sobre a realidade e as dificuldades em que vivem as aldeias indígenas naquela região
As comunidades indígenas de Aracruz sofreram violenta ação do batalhão de choque da Polícia Federal, ocorrida na manhã do dia 20 de janeiro deste ano. Muitos indígenas ficaram feridos por balas de borracha, num total desrespeito a dignidade humana. O objetivo da polícia era atender um pedido de reintegração de posse pedida pela Aracruz Celulose e injustamente atendida pela justiça por meio de um liminar. Esta fere um acordo acordo estabelecido entre as partes numa reunião em Brasília.

(Baseado na matéria do informativo "CMI na Rua", nº 5, publicado pelo Centro de Mídia Independente)

Descobrimento do Brasil e os Povos Indígenas

No ano de 1500, quando os portugueses desembarcaram nestas terras, aqui viviam aproximadamente 6 milhões de pessoas, de mais de 900 povos com culturas e maneiras de viver diferentes. Na carta que Pero Vaz de Caminha enviou ao rei de Portugal, ele conta que os primeiros encontros com os povos que viviam nestas terras foram cordiais, cercados de trocas de presentes e de entusiasmo. A primeira impressão dos navegantes europeus sobre os índios foi positiva, mas não foi suficiente para anular a carga de preconceitos que eles traziam. Assim, diferenças culturais passaram a ser vistas como pecados, atrasos, signos de primitivismo, que deveriam ser superados.

Até hoje a história oficial produzida e reproduzida nas escolas e nos meios de comunicação continua a chamar de "descobrimento" esse capítulo de uma história que começou milhões de anos antes. Descobrir, diz o dicionário, é achar pela primeira vez. Neste caso, foram os índios que descobriram o Brasil, pois seus ancestrais viviam aqui há mais de 40 mil anos. Por isso, a chegada dos portugueses e o processo de colonização deve ser considerado como invasão. Para os povos que viviam nestas terras, esta invasão é o princípio de uma história de dor e sofrimento.

O anseio de colonizadores em ocupar, escravizar e saquear as riquezas naturais do novo continente fez com que se implementasse uma política de extermínio e de escravização dos povos que aqui viviam. Desse modo, foram firmadas as bases da nação brasileira, dominando, pela força, as terras indígenas e suas riquezas naturais, exterminando muitos povos e submetendo outros a formas de viver que eram estranhas a eles.

(Texto extraido do texto-base da Campanha da Fraternidade de 2002: A Fraternidade e os Povo Indígenas pag. 20)

A Realidade dos Povos Indígenas no Brasil

Atualmente, sabe-se da existência de povos indígenas com suas respectivas terras tradicionais, demarcadas ou não, vivendo em 24 unidades da Federação. Estima-se que a população indígena total seja de 550.438 pessoas, pertencentes a 225 povos, falando cerca de 180 línguas diferentes. Dessa população, cerca de 358.31011 vivem em seus territórios, outros 191.22812 migraram para centros urbanos e há uma estimativa de 90013 índios que são pertencentes a povos não contactados.

Existem dois segmentos da população indígena: são os índios que vivem nas cidades e os povos considerados "ressurgidos ou emergentes".
As famílias indígenas que vivem em centros urbanos, em sua grande maioria, foram forçadas a migrar. Elas geralmente não deixam suas terras por opção, mas para tentar encontrar melhores condições de vida. Suas histórias são marcadas pela violência, fogem das ameaças constantes, da escassez intensa ou do preconceito. A migração não ocorre apenas em direção às cidades. Em várias regiões encontram-se grupos familiares dispersos, que nas migrações vão se afastando, tanto de suas terras tradicionais quanto de outros membros de seu povo. Podemos citar o exemplo do povo Atikum, que embora seu território tradicional se localize na Região Nordeste, no Estado de Pernambuco, encontra-se hoje distribuído entre os Estados do Pará, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Bahia.

Outro segmento da população indígena desassistido pelo governo brasileiro são os povos ressurgidos. São povos que foram forçados a manter no anonimato as suas identidades étnicas e culturais durante anos e até séculos, em conseqüência de violentos processos de perseguição e de discriminação. A conjuntura dos últimos anos tem possibilitado que esses povos reassumam suas identidades e reivindiquem a devolução de seus territórios tradicionais, cabendo ao Estado brasileiro demarcá-los, conforme determina a Constituição. Nos encontros, assembléias e momentos coletivos, os povos indígenas têm alertado para a necessidade de se assegurar aos índios que vivem nas cidades e aos povos ressurgidos os mesmos direitos consagrados na Constituição.

(Extraído do texto-base CF-2002: A Fraternidade e os Povos Indígenas pag. 31 e 32)

Curso sobre o Pentateuco - Os 5 primeiros Livros da Bíblia

Este é o tema do curso que está sendo ministrado às quintas-feiras na sala do CEBI de 19 às 21 horas. O Pentateuco é um dos blocos que formam o Primeiro testamento (que nos acostumamos a chamar de Antigo) e a Bíblia Hebraica. Após uma Introdução sobre este bloco, a turma passou a estudar o Livro do Êxodo. O curso está sendo assessorado por Fatinha e terminará no dia 04 de Maio.
O próximo tema será sobre os Livros Proféticos com ênfase no livro do profeta Amós. As inscrições já estão abertas. Participe!

Programa sobre os Povos Indígenas

Atenção: em virtude da transmissão da festa da Penha, no próximo domingo não teremos o programa "Por trás da Palavra" que volta em seu horário normal no domingo seguinte dia 30 de Abril.
Mais uma vez agradecemos a todas as pessoas que estão comentando, dando sugestões, levantando questionamentos e divulgando nosso blog, os programas de rádio e os demais trabalhos do CEBI. Vamos discutir todas as sugestões que forem dadas para cada vez melhorar nosso trabalho do CEBI-ES.
Muito Obrigado!

O CEBI também está na rádio FM Líder

De segunda a sexta a partir das 06:00h, após o programa oração da manhã, na rádio FM Líder - 99,1 MHz, o CEBI apresenta o programa "Por trás da Palavra", com duração de 5 minutos, refletindo sobre um livro bíblico e sua ligação com nossa vida.

Páscoa: Festa da Transformação


O Programa "A Palavra na Vida" abordou neste domingo o tema da Páscoa com a pergunta: o que precisa ser transformado em nossa realidade? Através de uma enquete nas ruas e de muitas participações dos ouvintes foram levantadas muitas situações da vida que precisam ser transformadas. Entre elas a necessidade de um maior acesso a educação para crianças e jovens que são as maiores vítimas das drogas e da violência. Mas é preciso se posicionar diante destes fatos e mudar nossa atitude para que a páscoa aconteça.
No quadro "iluminando a vida" foi feita uma reflexão da páscoa judaica e cristã a partir do texto do Evangelho de Marcos capítulo 14, versículos de 12 a 16. Ambas as cebrações judaica e cristã fazem memória de realidades transformadas: passagem da escravidão para a liberdade (páscoa judaica); passagem da morte para a vida (páscoa cristã). Jesus como judeu do seu tempo e conservando suas tradições também celebra a páscoa judaica, mas esta recebe um sentido novo.
O próximo programa abordará o tema: Os Povos Indígenas. Até lá!

O CEBI-ES
deseja a todas e todos
uma feliz Páscoa!

O martírio de Jesus

Acompanhe esta reflexão do Pe. Francisco de Aquino Júnior, presbítero da diocese de Limoeiro do Norte - Ceará, publicada no site da ADITAL - Agência de notícias Frei Tito para a América Latina (www.adital.org.br) em 10-04-2006 com o título: "Os verdugos não tem a última Palavra - A esperança que vem do ressuscitado":
(...)
"Jesus de Nazaré, conduzido pelo Espírito, "passou fazendo o bem" (At 10, 38). Ao lermos as escrituras cristãs (Novo Testamento), somos imediatamente confrontados com a bondade e a misericórdia de Jesus para com os pobres, os órfãos, as viúvas e os estrangeiros. Ele aparece, antes de tudo, como uma pessoa boa, verdadeira, misericordiosa e justa: curou muitos doentes (cegos, surdos, coxos, leprosos...); libertou muitas pessoas do poder dos espíritos maus; acolheu "pecadores" (publicanos, prostituta, fariseus, samaritana...); sentou-se à mesa e comeu com pecadores e desprezados; denunciou autoridades religiosas e políticas; relativizou a lei e o templo; afrontou costumes e tradições que impediam a prática do bem e excluíam os pobres e fracos... E fez tudo isso em nome de Deus. Mais: reconheceu nessas práticas a ação mesma de Deus; a chegada de seu reinado.

Por causa disso foi condenado, crucificado e assassinado. Jesus não morreu. Foi assassinado. Sua morte não foi fruto do acaso ou do destino nem muito menos vontade de Deus (Deus não é sádico, não quer a morte de seu filho nem se alegra com ela) ou resultado de um espiritualismo maniqueísta (rejeição ou desprezo da matéria) ou masoquista (prazer em sofrer). Foi conseqüência de seu modo de vida, de sua prática. Vida/prática que representava uma ameaça para o poder político (Lc 23, 2) e religioso (Jo 11, 48) de seu tempo. Por isso ele foi eliminado. E tanto pelas autoridades políticas (as únicas que podiam condenar à morte de cruz) quanto pelas autoridades religiosas (tido por maldito Dt 21.23). Sua imagem e experiência de Deus, sua prática religiosa, enfim sua fé, estava em conflito com a das autoridades romanas e judaicas. Por isso o crucificaram.

Mas Deus o ressuscitou. A ressurreição de Jesus foi o grande sim de Deus a Jesus de Nazaré. Ele estava certo e fazia a vontade de Deus. É Deus mesmo quem o confirma ao ressuscitá-lo. Por sua bondade, misericórdia e justiça para com os pobres e injustiçados deste mundo revelou o rosto do Pai e se tornou mediador de sua presença (Lc 7, 17). Enquanto revelador e mediador de Deus, tornou-se um com Deus, participante da vida e da condição divina. Vive eternamente (Jo 17,3).

Ao mesmo tempo em que a ressurreição é a confirmação de Jesus por parte do Pai é fonte de alegria e de esperança para os pobres e para todas as vítimas deste mundo. Em primeiro lugar revela que Deus está do lado dos fracos, dos injustiçados, dos crucificados, como Jesus sempre esteve. Não é, como muitas vezes se pensa, o Deus dos poderosos, o Deus que está do lado dos que se "dão bem" na vida. Em segundo lugar revela que os verdugos não têm a última palavra: Deus faz justiça a um crucificado. A vida (mesmo que curta e sofrida) é mais forte que a morte e Deus é Deus da vida e da justiça - dá vida e justifica seu filho crucificado. Em terceiro lugar porque revela definitivamente que o caminho de acesso ao Pai é a prática do bem, da misericórdia, da justiça aos crucificados deste mundo. Quem quer estar em comunhão com Deus deve viver e agir com Jesus viveu e agiu. Deve "passar fazendo o bem". Esse é o caminho para Deus. E quem vive assim, vive já, aqui e agora, em Deus. Vive como ressuscitado.

[A páscoa] (...) é um tempo privilegiado para animar a comunidade cristã a viver como Jesus viveu, não obstante as dificuldades, os conflitos, as perseguições e, assim, viver como ressuscitada - sendo sinal da bondade, da misericórdia e da justiça de Deus neste mundo.

Isso é o mais fundamental: viver ressuscitadamente desde agora - naquela radical comunhão com Deus que nem a morte destrói. Desafio e tarefa cotidianos. Das coisas mais simples às mais complexas. Das relações familiares e interpessoais às relações sociais e institucionais. Dos sentimentos e pensamentos às ações. Do privado ao púbico. Do namoro à política... Enfim, a vida toda vivida com Jesus viveu. Afinal "quem diz que permanece com ele deve agir como ele agiu" (1Jo 2, ).

Assim (...) a páscoa será mais que um evento do passado ou uma boa temporada para o comércio de chocolate. (...) será um tempo fecundo de animação da fé - como um jeito de viver a vida. A páscoa será a atual vitória - ainda que limitada, crucificada... - sobre o pecado que oprime e mata.

E essa é certamente a grande boa notícia que os cristãos temos (devemos!) a dar ao mundo: testemunhar com nossa própria vida que os verdugos não têm a última palavra e que a vida é mais forte que a morte. O que só é possível sendo pessoas boas e assumindo, como Jesus, a Causa das vítimas dos verdugos deste mundo: pobres, doentes, idosos, sem terra, sem teto, pescadores, encarcerados, portadores de deficiência, negros, mulheres, empregadas domesticas..."

Feliz Páscoa!!!

Agradecimento


Queremos agradecer todos os que postaram seus comentários neste blog.
Estes são muito importantes para a avaliação dos trabalhos desenvolvidos pelo CEBI-ES, principalmente os mais recentes como o Programa "A Palavra na Vida" na rádio América e este blog na Internet. Continuem comentando e dando sugestões! O e-mail do CEBI-ES é:
A todas e todos muito obrigado!

Programa "A Palavra na Vida" aborda o tema do Martírio


O Programa "A Palavra na Vida" produzido e apresentado pelo CEBI-ES na Rádio América (AM 690kHz) abordou o tema: Os Mártires de Ontem e de Hoje. No quadro "O Chão da Vida" foi entrevistada Joana Penha de Souza da Paróquia Jesus Libertador (Município de Cariacica-ES) que falou das lutas, dos sonhos e do trabalho de Pe. Gabriel Maire, assassinado em 1989.
No quadro "Iluminando a Vida" foi feita uma reflexão do texto do Evangelho segundo João capítulo 12, versículos de 20 a 29. O próximo programa será sobre a Páscoa.

Conhecendo Melhor a Bíblia


Este foi o tema do primeiro encontro do Curso Bíblico do CEBI na Paróquia Nossa Senhora da Vitória (Catedral). Estiveram presentes participantes das comunidades da Fonte Grande, Piedade, Moscoso, Catedral e também de São Torquato (Vila Velha). Pe. Ivo Ferreira Amorim, pároco da Catedral Metropolitana também esteve presente, acolhendo os participantes. O curso foi assessorado por Rômulo Luiz. Foi abordado o método de leitura a partir dos textos de Lc 15, 9-10 ( A parábola da Moeda Perdida) e Lc 24,13-35 (Os Discípulos de Emaús). O próximo encontro será dia 13 de maio às 14h com tema: O Êxodo e Formação do Povo de Deus.

Cursos do CEBI oferecidos na Sala

O CEBI-ES está oferecendo cursos de formação Bíblica:
- Às Quartas-feiras das 14h às 17h com o tema: O Evangelho segundo Marcos;
- Às Quintas-feiras das 19h às 21h com o tema: Pentateuco - Um estudo sobre os 5 primeiros livros da Bíblia com ênfase no Livro do Êxodo.
Estes cursos tiveram início no dia 16 de Março e encerrarão no dia 27 de Abril.
Você que quer participar, faça já a sua inscrição para os próximos cursos. Início mês de Maio:
Quarta-feira: Livro de Eclesiastes;
Quinta-feira: Livros Proféticos com ênfase no Livro do Profeta Amós.
A sala do CEBI-ES está situada neste endereço:
Rua Duque de Caxias, 121, Ed. Juel, sala 206
Centro – Vitória-ES
CEP: 29.010-120

Atendimento na sala: toda terça, quarta e quinta-feira das 14h às 18h
Tel.: (27)3223-0823

Assessorias do CEBI-ES nas Paróquias em Abril

Fique atento às próximas assessorias do CEBI-ES neste mês de Abril:

Dia 08:
- Paróquia N. Senhora da Vitória (Catedral) a partir das 14h com o tema: Conhecendo Melhor a Bíblia e o Método de Leitura;
- Paróquia S. Pedro (Muquiçaba) Setor Amarelos a partir das 13h com o tema: As Primeiras Comunidades Cristãs;

Dia 09:
- Paróquia S. Pedro (Muquiçaba) Setor Muquiçaba a partir das 8h com o tema: As Primeiras Comunidades Cristãs;

Dia 29:
- Paróquia Divino Espírito Santo (Santa Leopoldina) a partir das 8h com o tema: Liturgia na Bíblia;
- Quase Paróquia de Santa Maria de Jetibá a partir das 12:30h com o tema: As primeiras comunidades Cristãs;
- Paróquia S. Pedro (Vila Rubim) a partir das 14h com o tema: o Livro de Rute.

O CEBI-ES está na Rádio AMÉRICA AM 690kHz!

Todos os domingos de 10h às 11h da manhã na Rádio AMÉRICA AM 690kHz o CEBI-ES produz e apresenta o Programa "A PALAVRA NA VIDA". Neste domingo foi abordado o tema: A distribuição da Terra no Brasil. A reflexão bíblica foi feita a partir do texto de Gn 12,1-9. O próximo programa refletirá sobre "OS MÁRTIRES DE ONTEM E DE HOJE". Ligue, participe e concorra a prêmios!

Por trás da Palavra: O Blog do CEBI Espírito Santo


Este weblog quer ser mais um espaço de formação e divulgação do CEBI Espírito Santo. Estaremos publicando reflexões, indicando sites e livros para estudo bíblico além de informar as atividades do CEBI. Até a próxima publicação!