Amor e egoísmo - Tiago França

“Nisto conhecemos o Amor: ele deu sua vida por nós. E nós também devemos dar nossa vida pelos irmãos. Se alguém, possuindo os bens deste mundo, vê seu irmão na necessidade e se fecha a toda compaixão, como permaneceria nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos com palavras, nem com a língua, mas com obras e em verdade”(1 Jo 3, 16 – 18).

Nestes dias, estamos ocupados com o tema da liberdade. Hoje iremos nos ocupar com a diferença que há entre o amor e o egoísmo. O amor é a expressão máxima da liberdade, pois quem ama encontra a liberdade e quem deseja ser livre encontra no amor o caminho e o fim de sua liberdade. São realidades intimamente ligadas, tanto o sentido de uma quanto da outra se constroem reciprocamente. 

Acertadamente, diríamos que pessoa livre é pessoa que ama. Para tornar-se pessoa é necessário passar pela experiência do amor. Não há ser verdadeiramente humano fora do amor. Este acontece na simplicidade e na humildade do cotidiano da vida. 

Mateus 14,13-21: Dai-lhes vós mesmos de comer... - Ildo Bohn Gass

Banquete que mata e comensalidade que promove vida 

Depois do discurso das parábolas (Mt 13,1-52), a comunidade de Mateus apresenta Jesus vivendo a justiça do Reino (Mt 13,53-17,27). É um projeto alternativo e oposto ao sistema de opressão romana que, por fim, crucifica Jesus de Nazaré em Jerusalém. Para alcançar esse objetivo, conta com o apoio dos governantes dependentes do império, isto é, os sumos sacerdotes na Judeia e a família de Herodes na Galileia.

Em Mt 13,57, Jesus já constatara que não era bem acolhido em Nazaré. Na sequência, Mateus relata como o banquete dos poderosos é regado com o sangue do profeta João Batista (Mt 14,1-12). Ontem e hoje, o poder não suporta quem defende a vida dos mais pobres e de quem questiona as injustiças dos que estão a serviço do ídolo riqueza. Por isso, caluniam, difamam ou mesmo matam quem luta por uma sociedade justa, gerando mudanças que garantem cidadania para todo o povo.

Para fazer valer - Ivânia Vieira

A Lei da Ficha Limpa (lei complementar nº 135-2010) pela primeira vez será utilizada em um processo ampliado de eleições. A luta para ver a lei como matéria viva foi longa até chegar à sanção há quatro anos. Mobilizar 1 milhão e 300 mil pessoas em torno de uma ideia transformada em anteprojeto, manter o olhar vigilante para a matéria percorrer os espaços labirínticos exigidos dentro de um Congresso Nacional em grande conflito diante da possibilidade de o gesto virar lei exigiu muito fôlego e determinação simbolizados na articulação nacional erguida por meio do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

Visto por uma parcela dos legisladores e dos juristas como um monstrengo, o projeto sofreu todos os tipos de ataques e permaneceu na geladeira do Poder Legislativo por meses. Foram várias as armadilhas utilizadas para desqualificar a proposta e enfraquecer o instrumento nascido de uma das mais espetaculares mobilizações dos movimentos sociais brasileiros. A Lei da Ficha Limpa faz a primeira performance nestas eleições e esse é um grande motivo de animação diante da perplexidade acomodada com a política. Tem-se a chance de um bom embate nas formas de interpretação do que é legal, moral e legítimo na arte de fazer política e campanha eleitoral no Brasil.

Seminário Religiões de Matriz Africana

Dia 28/07/14 aconteceu na nossa sala, das 18:30 às 21:00, o Seminário Religiões de Matriz Africana com a presença de pessoas de várias religiões: cristãos, umbandistas, candomblecistas...

Estamos dialogando a partir da tematica Religioes de Matriz Africana. O momento foi importante para o exercício do diálogo e convivência! 

Clique aqui e veja as fotos desse encontro.

Semana Nacional de Mobilização pelo Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

De 28 de julho a 1 de agosto de 2014

No dia 14 de novembro de 2013, a Assembléia Geral da ONU instituiu o dia 30 de Julho como Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Esta é a data em que foi aprovado o Plano Global de Combate ao Tráfico de Pessoas adotado pela Assembléia Geral em julho de 2010.
Os Escritórios das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e os Estados que aderiram à Campanha Coração Azul irão realizar, nesta data, em diversos países, ações de grande visibilidade para o alerta contra o Tráfico de Pessoas.
O governo brasileiro, que aderiu à Campanha Coração Azul da ONU em 2013 e irá mobilizar ações nacionais em conjunto com a rede de Núcleos de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e os Postos Avançados de Atendimento Humanizado ao Migrante, bem como os Comitês Sociais do Coração Azul. As organizações do Comitê Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas - CONATRAP também se comprometeram a se mobilizar durante a semana de 28 de julho a 1 de agosto de 2014.

OBJETIVOS DA SEMANA DE MOBILIZAÇÃO:

Historiador judeu pede que Brasil lidere pressão contra Israel

O historiador Shlomo Sand, nascido na Áustria e radicado em Israel desde os primeiros momentos da criação do estado judeu no Oriente Médio, na década de 1940, é uma das figuras mais conhecidas da esquerda israelense: seu livro A Invenção do Povo Judeu, de 2008, em que o autor questiona a promiscuidade entre fato histórico e mitologia nacionalista na narrativa de construção de Israel, esteve no topo dos mais vendidos no país por 19 semanas e é o texto acadêmico israelense mais traduzido para outras línguas na história, com mais de 80 mil exemplares vendidos apenas na França.

A notoriedade, no entanto, não significa popularidade na terra natal. Rechaçado por militantes sionistas, judeus ortodoxos, articulistas da mídia israelense e especialistas da historiografia judaica tradicional, Sand segue investindo na polêmica como forma de chacoalhar uma sociedade que está "mais cruel, mais feia e muito mais racista" do que nunca. "Não sei se seus leitores sabem que muitos dos israelenses sobem em montanhas no entorno de Gaza para assistir aos bombardeios", conta o professor, ao falar sobre o conflito entre Israel e o grupo Hamas, que já deixou mais de 600 civis palestinos mortos por bombardeios aéreos e ações militares em terra.

Conselho Mundial de Igrejas (CMI) expressa preocupação com êxodo de cristãos no Iraque

Em declaração oficial, emitida no dia 21 de julho, o secretário geral do CMI, Rev. Dr Olav Fykse Tveit, expressou profunda preocupação com o êxodo de comunidades cristãs na cidade iraquiana de Mosul devido às ameaças do autoproclamado Estado Islâmico do Iraque e Síria (EIIS). Tveit descreveu o fenômeno como “uma tragédia tanto para cristãos como para muçulmanos".

De acordo com relatos locais, os cristãos foram intimados pelos que controlam a cidade de Mosul a converterem-se ao Islã, pagar a Jizya (espécie de pedágio para não-muçulmanos) ou abandonar a cidade. Quando não tomam uma destas duas atitudes, os cristãos passam a ser ameaçados de execução. Por conta desta situação, a comunidade Shia em Mosul também passou a sentir-se pressionada a deixar a cidade. Atualmente, vários cristãos buscam refúgio em monastérios e vilarejos vizinhos, assim como na região kurda do Iraque.

Reza na casa de Laurinha e Josué


Olá!

Nos reunimos para reza do mês de julho na casa de Laurinha e Josué. Muito bom rever os amigos de caminhada! Rezamos e compartilhamos fazendo memória das mulheres de nossas vidas: as de ontem e as de hoje. Foi revendo as bandeiras de lutas das mulheres negras que também percebemos as conquistas e o que ainda temos que alcançar. Os desafios são grandes, mas juntos vamos fazendo e refazendo o caminho. 

No final tivemos dois caldos: pela-égua e caldo de pinto. Muito bom!!!
Agradecemos a família pela acolhida !!!

Clique aqui e veja as demais fotos desse momento de alegria e partilha.

Clique aqui e veja a programação das rezas para o próximo mês.

Abraço a todos e todas e até a reza de Agosto na casa de Tereza e Cláudio.

CEBI denuncia massacre do povo palestino

Ele liberta o indigente que grita por socorro e o pobre que não tem quem o ajude (Salmo 72,12)

Reunido em Brasília, o Conselho Nacional do Centro de Estudos Bíblicos - CEBI - expressa sua solidariedade ao povo palestino e denuncia o massacre realizado pelo Estado de Israel, que vem ceifando a vida de centenas de pessoas, especialmente crianças.

O CEBI reconhece que a violência no território de Palestina-Israel é proveniente de ambas as partes. Entretanto, o terrorismo é provocado majoritariamente pelo governo israelita, que, fortemente armado e com a conivência de potências ocidentais, coloca em prática um projeto de extermínio do povo palestino. 

Antes de se formar o Antigo Israel como estado, naquelas terras já moravam outros povos, que nem sempre tiveram sua dignidade respeitada. Na época moderna, o mesmo aconteceu com a agressiva ocupação das terras palestinas por parte de grupos judeus. 

Plebiscito Constituinte: Como Participar?






Queremos que essa proposta se espalhe por todo o Brasil, e desde Agosto de 2013 diversos Movimentos Sociais, Sindicais e Organizações Políticas se juntaram para começar este trabalho. Saiba quais organizações participam.

E com muita alegria e disposição começamos a nos organizar para que cada vez mais pessoas participem desse processo de debates e de organização que culminará na votação do Plebiscito que terá uma única pergunta: Você é a favor de uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político?

A votação ocorrerá na Semana da Pátria (1 a 7 de Setembro) de 2014, e qualquer pessoa ou grupo pode organizar um local de votação com uma urna!

Ainda sim, o plebiscito está em construção desde já e prevê muitas atividades de organização, formação política e lutas até chegar a semana da Pátria. Você pode participar do Plebiscito Popular de várias formas, para te ajudar a saber como organizamos um pequeno roteiro: