10º Prêmio Dom Luís Gonzaga Fernandes


Convidamos todas e todos para a Solenidade de Entrega do 10º Prêmio Dom Luís Gonzaga Fernandes - Dia 21 de Agosto/14 - 16 hs - Salão São Tiago - Palácio Anchieta - Vitória/ES

Premiados:

APSAD-VIDA – Associação de Produtores Santamariense em Defesa da Vida, atua na produção orgânica e desenvolvimento sustentável.

COEQ - Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas Zacimba Gaba representando todas as comunidades quilombolas do ES

Movive - Movimento Vida Nova, articula os setores público, privado e a sociedade civil na formação de uma rede de desenvolvimento sustentável

Advogado e jornalista Orlando BOMFIM Júnior, desaparecido político.

Professor Reynaldo Dietze, doutor em doenças infecciosas e parasitárias e pesquisador da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

Advogado e jornalista Washington Luíz Rodrigues Novaes, aguerrido defensor o meio ambiente e dos povos indígenas.

Contamos com a sua presença neste evento de admiração e respeito, dedicado às pessoas e instituições que se destacaram com o seu trabalho e o seu exemplo de vida na defesa e promoção da justiça social, do meio ambiente, dos direitos humanos e da igualdade entre as pessoas.

Fonte: Comissão Especial do Prêmio Dom Luís

Mateus 16,13-23: A Comunidade de fé: Pedra de apoio ou pedra de tropeço? - Lopes, Mesters e Orofino

Na reflexão que preparamos para o próximo domingo, aparecem muitas opiniões sobre Jesus e várias maneiras de se expressar a fé. Pedro, por exemplo, tem opiniões e atitudes tão opostas entre si que parecem não poder caber na vida de uma mesma pessoa. Hoje, também existem muitas opiniões diferentes sobre Jesus e várias maneiras de se viver a fé, tanto dentro da gente como na comunidade.

1 Situando

1. Estamos na parte narrativa entre o Sermão das Parábolas (Mt 13) e o Sermão da Comunidade (Mt 18). Geralmente, nestas partes narrativas que ligam entre si os cinco Sermões, Mateus costuma seguir a sequência do Evangelho de Marcos. De vez em quando, cita outras informações, também conhecidas por Lucas. E aqui e acolá, traz textos que só aparecem no Evangelho de Mateus, como é o caso da conversa entre Jesus e Pedro do texto de hoje. Este texto recebe interpretações diversas e até opostas nas várias igrejas cristãs.

80 anos de Irmã Luiza




69/70 anos da bomba atômica sobre o Japão: a arma da autodestruição da espécie? - Leonardo Boff

Passaram-se 69/70 anos do maior ato terrorista da história que foi o lançamento de duas bombas atômicas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. Não eram armas contra exércitos, mas armas de destruição em massa, de civis, mulheres, crianças, animais, vegetação, de tudo o que vive. O copiloto Robert Lewis vendo a devastação, assustado exclamu: ”Meu Deus, o que fizemos”? O impacto foi tão demolidor que o imperador Hiroíto logo se rendeu também por este argumento:”para evitar a total extinção da civilização humana”(P. Johnson,Tempos modernos 1990,357). Ele captou sabiamente: a partir de agora não precisamos mais que Deus intervenha para pôr fim à nossa história. Nós nos demos os instrumentos que nos podem autodestruir. Como disse Sartre:” nós nos assenhoreamos de nossa própria morte”.

No final de sua vida, o grande historiador inglês Arnold Toynbee (+1975), depois de escrever muitos tomos sobre as grandes civilizações, deixou consignada esta opinião sombria em seu ensaio autobiográfico Experiências de 1969: “Vivi para ver o fim da história humana tornar-se uma possibilidade intra-histórica capaz de ser traduzida em fato não por um ato de Deus mas do homem”.

Bióloga: ''Queridos filhos, adeus, vou curar o ebola''

No fim de maio, a bióloga Concetta Castilletti abraçou os dois filhos adolescentes, cumprimentou os colegas do hospital romano Spallanzani e partir para ir ao encontro do ebola. Dois aviões de linha e um Piper instável a levaram até Guéckédougou, na Guiné, o primeiro e mais letal foco da epidemia, o coração das trevas: naquele dia, já havia 241 mortos contabilizados.

A reportagem é de Michele Concina, publicada no jornal Il Fatto Quotidiano, 11-08-2014. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Guéckédougou é uma cidade muito pobre, cercada pelas florestas, a um passo da fronteira com a Libéria e Serra Leoa. Foi a sua posição que fez dela o terreno de cultivo e de difusão ideal para todo tipo de bacilo e vírus. As guerras civis nos dois países adjacentes, além de deixar ao menos 500 mil mortos, puseram em fuga 2,5 milhões de refugiados.

Cartilha Eleições 2014 está disponível para consulta e impressão

A Cartilha Eleições 2014, com o tema Seu Voto tem Consequências: um novo mundo, uma nova sociedade, está agora disponível para todos para consulta e impressão. Assim, toda a sociedade poderá utilizar o material, de grande importância para preparar o cidadão para as eleições deste ano. Clique aqui para acessar a Cartilha

A peça foi produzida pelo Núcleo de Estudos Sociopolíticos (Nesp) da Arquidiocese de Belo Horizonte e PUC Minas e pelo Centro Nacional de Fé e Política Dom Helder Câmara (Cefep), organismo vinculado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em parceria com o Conselho Nacional do Laicato do Brasil, o Iser Assessoria e a Comissão Brasileira Justiça e Paz.

Apresentada durante a 52ª Assembleia Geral da CNBB, ocorrida de 30 de abril a 9 de maio, em Aparecida (SP), e entregue aos bispos de todo o Brasil, a cartilha impressa pode ser adquirida pelo site www.cpp.com.br ou pelo telefone 0800.703.8353. Além da cartilha, o Nesp está produzindo uma série de seis vídeos, intitulada Eleições 2014: voto no Brasil. 

Mateus 15,21-28: Escutar Deus onde a vida clama

No domingo passado vimos como Jesus dominava as forças do mar. Porém, nas suas andanças pela sua terra natal, ele também fez uma coisa ainda mais difícil. Ele ultrapassou fronteiras humanas, fronteiras de raça, religião e preconceito.

A história de Cananéia, narrada no evangelho de hoje está cheia de detalhes que podemos refletir.

A região de Tiro

Tiro é uma cidade com ambição de domínio e com grande poder. Desde sua origem até o período romano, havia uma luta do povo fenício sobre as terras da Galileia. Tiro pode ser considerada uma cidade rica e economicamente estável. Mas, ao lado desta realidade, também há pobreza. O diálogo acontece entre os pagãos e os judeus.

Jesus anda em território pagão, perto de Tiro e Sidom. Nesse lugar é normal encontrar-se uma mulher "cananeia". Ela mora numa região de pagãos. Eles não são semitas, não são israelita nem seguem a religião judaica. Mas ela chama Jesus de "Filho de Davi", que é o título messiânico israelita por excelência. Podemos pensar que ela está tão profundamente angustiada que se humilha até invocar o Messias dos israelitas. "E partindo dali foi para a Região de Tiro..." (7,24a).

Mateus 15,21-28: O encontro de Jesus com a mulher siro-fenícia - Odja Barros

A situação retratada no texto de Mt 15,21-28 parece ser uma realidade de conflito nas comunidades daquele tempo, provocada por atitudes discriminatórias de judeus para com estrangeiros e para com mulheres. O relato fala do encontro de Jesus com uma mulher estrangeira. 

Naquela época, os estrangeiros significavam algo detestável no pensamento dominante em Israel. Apesar de as tradições ancestrais mostrarem a necessidade de oferecer proteção aos estrangeiros, o judaísmo hegemônico no pós-exílio os considerava impuros, bem como uma ameaça por serem desconhecedores da lei e perturbadores da tranquilidade de Israel. Reprovava seus costumes, suas tradições e seus ritos. Em Mt 15,21-28, Jesus rompe fronteiras e se aproxima do território de Tiro. A situação era muito tensa, pois Jesus se encontra junto a terras estranhas e, ali, o seu primeiro encontro é com uma cananéia, considerada duplamente impura por ser mulher e por ser estrangeira.

Energia a que preço? - Frei Betto

O Plano Decenal de Energia prevê, como prioridade, até 2022, a construção de hidrelétricas. Hoje, o Brasil dispõe de 125 mil MW (megawatts). O Plano estabelece a incorporação de mais 60 mil MW, sendo 35 mil oriundas de 35 hidrelétricas de grande porte a serem construídas, e dezenas de PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas).

Tais empreendimentos atingirão, segundo o Governo Federal, 62 mil pessoas. Tudo indica tratar-se de um número subestimado. Duas hidrelétricas, a de Marabá e a de Belo Monte, causarão transtornos para uma população numericamente maior. Hoje, em todo o Brasil, os atingidos por construções de barragens são calculados pelo MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) em 1 milhão de pessoas. E mais 250 mil serão afetadas pelas obras previstas no Plano Decenal, que prevê investimento de R$ 100 bilhões e o alagamento de 650 mil hectares. Cerca de 80% do potencial hídrico planejado será em rios da Amazônia: Tocantins, Xingu, Tapajós e Madeira.

Casa Comum: “buscai o bem da cidade” - Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016

Está em processo de preparação Campanha da Fraternidade Ecumênica (CFE) de 2016. Focada nos problemas do saneamento básico, a campanha terá como tema a Casa Comum (no sentido do oikos) como responsabilidade de todas as pessoas. A iluminação bíblica será extraída da carta de Jeremias ao grupo que se encontrava em experiência de exílio: “buscai o bem da cidade” (Jr 29,17).

Estas e outras definições foram tiradas na Oficina Ampliada sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016, coordenada pelo CONIC e realizada em Brasília nos dias 06, 07 e 08 de agosto.

O CEBI, membro fraterno do CONIC e a serviço das igrejas por meio da Leitura Popular da Bíblia, é parceiro na Campanha da Fraternidade Ecumênica. Gervásio Toffoli (foto ao lado), membro do Conselho Fiscal, foi indicado pelo Conselho Nacional para representar o CEBI no processo de preparação. A seguir o seu relato sobre a oficina.